Bolsa Bolsa nacional cai pelo terceiro dia pressionada pelo retalho e Galp

Bolsa nacional cai pelo terceiro dia pressionada pelo retalho e Galp

Num dia de perdas generalizadas na Europa, o PSI-20 negociou no vermelho pela terceira sessão consecutiva, penalizada pelas quedas verificadas no sector do retalho, e pelas desvalorizações da Galp e da Pharol.
Bolsa nacional cai pelo terceiro dia pressionada pelo retalho e Galp
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 10 de novembro de 2017 às 16:42

O PSI-20 fechou a sessão desta sexta-feira a recuar 0,38% para 5.301,70 pontos, com 13 cotadas em queda e cinco em alta, no terceiro dia consecutivo de perdas para o principal índice nacional que tocou em mínimos de 22 de Setembro. O PSI-20 termina também esta semana com uma desvalorização superior a 1%, no quarto ciclo semanal seguido de perdas, algo que já não acontecia desde Junho.

A bolsa lisboeta acompanhou a tendência de quedas registada nas principais praças do Velho Continente com o Stoxx 600, que agrega as 600 maiores cotadas europeias, a acumular perdas pelo quarto dia seguido e a negociar no valor mais baixo desde 26 de Outubro. O sector petrolífero europeu foi o que mais penalizou o índice bolsista de referência na Europa.

Em Lisboa, foi o sector do retalho que mais pressionou. A Jerónimo Martins recuou 1,56% para 15,795 euros, enquanto a Sonae perdeu 2,08% para 0,99 euros.

Também a contribuir para mais uma sessão negativa da praça lisboeta esteve a Galp Energia que resvalou 0,76% para 16,22 euros, na semana em que a petrolífera se financiou em 500 milhões de euros com uma redução no custo de financiamento. Esta sexta-feira a Bloomberg estimou que a Galp deverá triplicar a sua capacidade de produção com o início da operação do projecto de gás natural no campo Coral, em Moçambique.

O sector da energia não registou uma tendência definida, com a REN a deslizar 0,15% para 2,66 euros, enquanto a EDP ganhou 0,20% para 2,986 euros e a EDP Renováveis cresceu 0,10% para 6,994 euros. 

Nota negativa também para a Semapa que desvalorizou 1,80% poara 16,085 euros, com as restantes cotadas que actual no sector do papel a seguirem o sentimento. A Altri recuou 1,08% para 5,312 euros e a Navigator deslizou 0,55% para 4,189 euros. 

A Pharol caiu pela segunda sessão, tendo recuado 4,61% para 0,393 euros, tendo tocado durante o dia em mínimos de 9 de Outubro, pressionada pelas quedas registadas pela Oi devido ao impasse relativo ao
 plano de reestruturação judicial da operadora de telecomunicações brasileira. A Nos seguiu a tendência caindo 0,59% para 5,193 euros. 

 
A travar uma maior descida do PSI-20 esteve o BCP, com o banco liderado por Nuno Amado a somar 1,71% para 0,2495 euros, no mesmo dia em que o CaixaBI elevou o preço-alvo atribuído às acções da instituição para 0,31 euros, mantendo a recomendação de "comprar".

(Notícia actualizada às 16:55)




A sua opinião26
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado PSI 18 Há 1 semana

BCP esta-se a aguentar, vamos ver se se mantém assim depois da apresentação dos resultados do trimestre.
A Mota continua a deslizar, à seis sessões, será realização e mais-valias dos fundos de investimento ? Hoje mais um tombo.
A Pharol vive do boato, agora só em Dezembro é que há reunião até là....
Os CTT parece que querem parar por aqui, será? penso que já chega.
Quer a bolsa nacional quer a europeia tem estado em perdas praticamente todo este mês, não me parece por experiências anteriores, que esta correcção seja muito mais profunda e prolongada, que não venha aí novamente ventos favoráveis. Se assim for é uma oportunidade para entrar, se não para vender. è tudo uma questão de FÉ, mas a bolsa é isso mesmo, se pensam que é algo cientifico estão muito enganados.
" Resultados só no fim dos jogos" como dizia o outro.

comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

O oráculo falou e disse de sua justiça. BCP com mais de 155 milhões de lucros nos 9 primeiros meses de 2017!!! Será que tem razão?

Anónimo Há 6 dias

Grande malha os resultados do BCP...

Anónimo Há 1 semana

BCP sobe sobe balão sobe !!!!!!!!!!!!!!

POSIÇÕES CURTAS, desvalorizar Há 1 semana

As apostas a descoberto, são feitas porque o mercado dá sinais de queda, estes especuladores estão á espera disso para entrarem, c/ posições curtas, logo que tudo normalize, e os mercados deem sinais de recuperação, estes fazem o inverso, apostas nas posições longas, e o mercado sobe. desvalorizar

ver mais comentários
pub