Bolsa Bolsa nacional cai perto de 1% pressionada pela Nos e Galp

Bolsa nacional cai perto de 1% pressionada pela Nos e Galp

A praça lisboeta interrompeu um ciclo de dois dias seguidos a valorizar numa sessão em que as quedas do Nos e da Galp Energia foram as que mais penalizaram.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 28 de novembro de 2016 às 16:42

O PSI-20 encerrou a sessão bolsista desta segunda-feira, 28 de Novembro, a perder 0,79% para 4.426,51 pontos, com 14 cotadas a negociar em queda, uma em alta e três inalteradas. A bolsa lisboeta fechou no vermelho depois de duas sessões seguidas a acumular ganhos, acompanhando assim a tendência verificada pelas principais praças europeias.

 

Também o índice de referência europeu interrompeu um ciclo de duas sessões consecutivas em alta numa sessão em que o sector financeiro do Velho Continente liderou as perdas. Ainda assim o Stoxx 600 atenuou as perdas face ao início da sessão já depois de a OCDE ter revisto em alta as perspectivas de crescimento económico para 2017.

 

A banca italiana e o espanhol Banco Popular destacaram-se pela negativa num dia em que os investidores mostram apreensão face ao aproximar do referendo italiano do próximo domingo, que poderá determinar uma crise política e bancária em Itália.

 

No plano nacional foi também o sector financeiro a ter nota de destaque pela negativa. Com uma queda de 1,67% para 1,18 euros, o BCP foi uma das cotadas que mais pressionou o principal índice nacional. Isto depois de na sexta-feira passada a casa de investimento espanhola JB Capital ter atribuído um preço-alvo de 2,19 euros aos títulos do banco liderado por Nuno Amado.

Ainda na banca, o BPI terminou o dia inalterado nos 1,129 euros por acção. 

Também a pressionar a praça lisboeta esteve a Galp Energia que recuou 1,50% para 12,45 euros, pese embora o preço do petróleo esteja em forte alta nos mercados internacionais. Depois da queda provocada no início da sessão pela admissão, por parte da Arábia Saudita, que que não é essencial um acordo no âmbito da OPEP para limitar a produção petrolífera, a insistência das autoridades iraquianas em chegar a um compromisso está a animar os investidores. Tanto em Nova Iorque (WTI) como em Londres (Brent) o petróleo segue a subir mais de 2%. 

Nota negativa também para a Nos que perdeu 1,57% para 5,385 euros, já depois de a operadora de telecomunicações ter sido condenada a pagar 5,3 milhões de euros à Meo devido a alegadas portabilidades indevidas. Também esta segunda-feira o Benfica contestou o contrato assinado entre a Nos e o Sporting, considerando que valoriza mais os direitos televisivos do clube de Alvalade do que os do clube da Luz.

De regresso ao sector energético, também o Grupo EDP fechou o dia em terreno negativo. A EDP Renováveis deslizou 0,74% para 6,01 euros após o banco de investimento Haitong ter decidido baixar o preço-alvo da empresa liderada por Manso Neto de 8,20 euros para 8 euros. Já a EDP resvalou 0,33% para 2,707 euros. 

Por fim nota negativa ainda para o sector da construção. A Mota-Engil perdeu 2,60% para 1,537 euros e, entre as cotadas que não integram PSI-20, a Teixeira Duarte desvalorizou 1,73% para 0,17 euros no dia em que a construtora apresenta resultados.

(Notícia actualizada às 16:50)




A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 28.11.2016

Saiam dos mercados, isto hoje foi mero ensaio, aproximação de tempestade severa, para a próxima 2.ºfeira vai ser a doer.

comentários mais recentes
ABCDEF1 28.11.2016

Amaldiçoados sejam os motas e também os engiles. Que será que têm na manga?

investidor 28.11.2016

NAVIGATOR, investimento seguro, diversificar, isso é treta, tenho tudo nesta grande Empresa, comprem banquetas e motas, e pts,

Anónimo 28.11.2016

Os Bcpatos estão ricos. Bem avisados foram. A falência do BES e do Banif não serviu de exemplo, tiveram que se ir enterrar noutra banqueta falida, que só sobrevive expoliando os acionistas com aumentos de capital.

Anónimo 28.11.2016

Saiam dos mercados, isto hoje foi mero ensaio, aproximação de tempestade severa, para a próxima 2.ºfeira vai ser a doer.

ver mais comentários