Bolsa Bolsa nacional com série de ganhos mais longa desde Janeiro de 2014

Bolsa nacional com série de ganhos mais longa desde Janeiro de 2014

O PSI-20 está a subir pela nona sessão consecutiva, beneficiando sobretudo com a valorização das acções do BCP, numa sessão em que os investidores aguardam pelos resultados da reunião da Fed.  
A carregar o vídeo ...
Nuno Carregueiro 20 de setembro de 2017 às 08:14

É preciso recuar mais de três anos para encontrar uma série de ganhos tão prolongada na bolsa portuguesa, que está hoje a subir pela nona sessão consecutiva. Um ciclo de subidas que não se verificava desde Janeiro de 2014.

 

O PSI-20 ganha 0,27% para 5.317 pontos, com 11 cotadas em alta, cinco em queda e duas sem variação. Na Europa a tendência é de quedas ligeiras, numa sessão em que os investidores estão de olhos postos na reunião da Reserva Federal.

 

Espera-se que a taxa de juro directora nos Estados Unidos se mantenha compreendida entre 1% e 1,25% e que seja anunciado o início do processo de redução do balanço do banco central (conhecido como QT – ‘quantitative tightening'), que é de 4,5 biliões de dólares. Os investidores tentarão decifrar a possibilidade de uma subida dos juros na reunião de Dezembro.

 

Em Lisboa continua a ser o BCP a marcar o ritmo do PSI-20 (acções sobem 0,6% para 0,2336 euros), beneficiando ainda com os efeitos da inesperada decisão da Standard & Poor’s de retirar o "rating" de Portugal do nível de lixo.

 

A agência que gere a dívida pública (IGCP) vai esta quarta-feira aos mercados para novos leilões de títulos com maturidade de seis e 12 meses, com o objectivo de levantar entre 1.500 milhões e 1.750 milhões de euros.

Com excepção da Galp, as restantes cotadas com maior peso no índice estão também em terreno positivo. A EDP Renováveis ganha 1,01% para 7,191 euros, a EDP soma 0,15% para 3,273 euros e a Jerónimo Martins valoriza 0,45% para 16,64 euros.

 

Numa sessão em que o petróleo até negoceia em terreno positivo (Brent avança 0,42% para 55,37 dólares), a petrolífera liderada por Carlos Gomes da Silva desvaloriza 0,28% para 14,27 euros.




A sua opinião47
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Normal se hoje corrigir Há 4 semanas

Foram vários dias seguidos a subir. Haverá por certo investidores a tomar mais valias e ir para casa contentes. Não se sobe TODOS os dias.

comentários mais recentes
joaoferreira1 Há 4 semanas

Há coisas curiosas. Hoje é interessante ver a guerra entre os que puxam pra baixo e os que estão a travar a queda. O pormenor curioso é que ao longo do dia...e já vai com 80 milhões feitas...os lotes acabam, na grande maioria, em 97. Chamem-lhe coincidência. Cada dia que passa há uma nova terminação. Amanhã dou notícias da nova. hehehehe

ALERTA EDP, aumento de capital Há 4 semanas

Falta só o ok, de Antonio Costa, o que não deve meter entraves , da elétrica chinesa entrar na EDP, vai mesmo haver AC,,

BCP : 2045 price target CONFIRMADO 0.39 Há 4 semanas

Isto sim é um price target realista com o ano realista, e isto a correr muito bem para o BCP, porque pelo andar da carruagem talvez até o ano 2045 seja demasiado optimista!

EDP , AUMENTO DE CAPITAL Há 4 semanas

A elétrica chinesa poderá entrar na EDP . mas para isso terá que haver um AC, para compra de ativos, nesse dia a EDP desvalorizou 2.55% da continua a desvalorizar, noticia dia 19/09/2017 informação de bolsa JN. as 10.44 pela jornalista Sara Antunes, a ser verdade a EDP vem para os 2.50 euros

ver mais comentários
pub