Bolsa Bolsa nacional é a que menos cai na Europa com descida superior a 0,5%

Bolsa nacional é a que menos cai na Europa com descida superior a 0,5%

O PSI-20 negoceia em queda pela segunda sessão, num dia de perdas generalizadas na Europa, antes do referendo em Itália. Por cá, a Jerónimo Martins e a Nos são as cotadas que mais penalizam.
Bolsa nacional é a que menos cai na Europa com descida superior a 0,5%
Bruno Simão/Negócios
Rita Faria 02 de dezembro de 2016 às 12:40

A bolsa nacional segue em terreno negativo pela segunda sessão consecutiva, numa manhã de perdas generalizadas na Europa. O PSI-20 é o índice que menos desvaloriza, com uma descida de 0,65% para 4.407,23 pontos. Das 18 empresas que formam o principal índice nacional, 14 estão no vermelho, três no verde e uma inalterada.

No Velho Continente, as perdas estão a ser motivadas pela incerteza em torno do resultado do referendo em Itália, no domingo, onde está em jogo o "sim" ou "não" às reformas constitucionais propostas pelo primeiro-ministro, mas também o próprio Governo, na medida em que Matteo Renzi apostou o seu futuro político na consulta popular.

O índice de referência para a Europa, o Stoxx600, desce 1,11% para 337,07 pontos, penalizado sobretudo pelo sector da mineração, banca e tecnologia.

No plano nacional, a Jerónimo Martins e a Nos são as cotadas que mais penalizam o PSI-20. A retalhista cai 1,14% para 14,345 euros enquanto a operadora liderada por Miguel Almeida recua 1,47% para 5,24 euros.

A contribuir para a queda do índice português estão também os CTT, a Navigator e a Altri. A empresa de correios cai 0,95% para 5,74 euros, a Navigator desce 1,14% para 2,949 euros e a Altri desvaloriza 2,69 euros.

Como escreve o Negócios esta sexta-feira, a Altri vai subir o preço da pasta branqueada de eucalipto (BEKP) a partir do início do próximo ano, acompanhando a decisão já anunciada pela brasileira Fibria.

Na energia, a EDP cai 0,07% para 2,697 euros, a EDP Renováveis desliza 0,03% para 5,928 euros e a Galp Energia recua 0,19% para 13,07 euros, numa altura em que o petróleo desvaloriza mais de 1% nos mercados internacionais.

As únicas cotadas que seguem com sinal positivo são o fundo do Montepio, a Sonae Capital e a REN. 


A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 02.12.2016

As bolsas mundiais estão moribundas, mas a portuguesa está REQUIEM PACHE, ou seja morta.

pub