Bolsa Bolsa nacional em alta à boleia de grupo EDP

Bolsa nacional em alta à boleia de grupo EDP

A praça de Lisboa inverteu o sentimento negativo do arranque da sessão e segue do lado dos ganhos. Os títulos do grupo EDP são os que mais impulsionam. Entre as restantes praças europeias, não há uma tendência definida.
Bolsa nacional em alta à boleia de grupo EDP
Bloomberg
Ana Laranjeiro 17 de Novembro de 2016 às 09:50

A bolsa de Lisboa está agora a negociar do lado dos ganhos, invertendo assim a tendência registada no arranque da sessão. O PSI-20 soma 0,43% para 4.413,92 pontos, com 12 cotadas em alta, cinco em queda e uma inalterada.

Entre as restantes praças europeias, não se verifica uma tendência definida. Além de Lisboa, Londres, Madrid e Atenas seguem com sinal mais. As restantes praças estão em queda. O Stoxx 600, índice de referência, soma 0,11%.

Esta evolução das bolsas do Velho Continente tem lugar numa altura em que os investidores estão à espera de conhecer os dados da inflação na Zona Euro e nos Estados Unidos e de ouvir a presidente da Fed, Janet Yellen, que discursa em Washington esta quinta-feira, 17 de Novembro. Vai ser o primeiro discurso desde que Donald Trump venceu as eleições presidenciais. É um discurso que assume especial relevo numa altura em que o mercado dá quase como certo que a Fed vai subir os juros em Dezembro.

Por cá, destaque para as acções do grupo EDP. A casa-mãe sobe 1,55% para 2,688 euros e a EDP Renováveis avança 0,99% para 5,994 euros. A REN cresce 0,48% para 2,532 euros.

Já a Galp Energia cede 0,04% para 11,995 euros, isto numa altura em que os preços do petróleo estão a subir nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, que serve de referência para as importações nacionais, cresce 0,21% para 46,73 dólares por barril. A negociação da matéria-prima está a ser animada pela expectativa de que os membros da OPEP vão chegar a um entendimento sobre a implementação do acordo alcançado em Setembro para reduzir a produção e estabilizar os preços.

No retalho, a Jerónimo Martins soma 0,24% para 14,905 euros. E a Sonae cresce 0,13% para 76,9 cêntimos.

A Nos, sobe 0,34% para 5,603 euros. Esta quarta-feira, 16 de Novembro, a Nos confirmou que vai aumentar entre 4% e 5% os preços a partir de Dezembro. Fonte oficial da operadora acrescenta ao Negócios que esse valor é em alguns segmentos específicos, mas que o "impacto médio é metade, de 2 a 2,5%".

O analista Nuno Matias, numa nota do Haitong publicada esta quinta-feira, 17 de Novembro, refere que a expectativa que tinha era que "a Nos fosse mais agressiva na subida de preços e que talvez implementasse aumentos de preços que em média se situassem entre 4% a 5% dada a necessidade de anular o aumento de custos associado aos conteúdos desportivos".

A Pharol recua 2,07% para 18,9 cêntimos.


Na banca, o BCP desce 0,46% para 1,2164 euros. O BPI segue inalterado nos 1,13 euros.


Os CTT somam 0,39% para 6,188 euros.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas

CTT de novo na merd... alguém sabe porquê?

Anónimo Há 2 semanas

Tudo sobe menos o BCP, que continua a cotar nos ( 0.0162 € ) estou para ver, quando chega aos 2 cêntimos !!!

Anónimo Há 2 semanas

COFINA: SUPER ATRATIVA AO PREÇO ATUAL:
Com 3,6 M€ de lucros nos 9M2016, que dá 4,8 M€ estimados para o final do ano, corresponde a 0,0468 de lucro anual por cada uma das 102,56 milhões de açoes, ou seja um PER=5,51 (0,258 cotação de ontem/0,0468).Super barata! E,muito perto do mínimo anual (0,242).

pub