Bolsa Bolsa nacional em mínimos de dois meses pressionada pela Jerónimo Martins

Bolsa nacional em mínimos de dois meses pressionada pela Jerónimo Martins

A bolsa lisboeta fechou em queda depois de ter tocado no valor mais baixo desde 15 de Setembro, seguindo a tendência de queda que pintou de vermelho as praças bolsistas do Velho Continente. Jerónimo Martins, Pharol e EDP pressionaram.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 13 de novembro de 2017 às 16:40

O PSI-20 fechou a sessão desta segunda-feira, 13 de Novembro, a recuar 0,82% para 5.258,14 pontos, com 16 cotadas em queda e as restantes duas em alta, no quarto dia consecutivo de perdas para o principal índice nacional. A bolsa lisboeta transaccionou em mínimos de 15 de Setembro, tendo acompanhado a tendência de perdas registada nas principais praças europeias.

O Stoxx 600, que agrega as 600 maiores cotadas europeias, desvalorizou pelo quinto dia, tendo tocado no valor mais baixo desde 31 de Maio deste ano, penalizado em especial pelas perdas verificadas nos sectores do retalho e dos serviços financeiros.

 

Em Lisboa, a Jerónimo Martins foi a cotada que mais penalizou com uma desvalorização de 1,87% para 15,50 euros, seguindo assim o sentimento negativo verificado nas retalhistas europeias. Ainda no sector do retalho, a Sonae perdeu 1,62% para 0,974 euros, isto a dois dias de o grupo da Maia apresentar resultados. O CaixaBI estima que a empresa co-liderada por Paulo Azevedo concluiu os primeiros nove meses do ano com lucros de 121 milhões de euros.

Também a pressionar de forma determinante esteve a Pharol que deslizou 7,12% para 0,365 euros numa sessão em que tocou em mínimos de 29 de Setembro, com a cotada a ser prejudicada pela incerteza em torno da reestruturação da Oi, operadora de telecomunicações brasileira em que a empresa portuguesa detém uma posição superior a 20%.

Ainda a liderar nas perdas esteve a EDP que recuou 1% para 2,956 euros e a REN que resvalou 3,01% para 2,58 euros, com a empresa a transaccionar em mínimos de 3 de Fevereiro. Isto no dia em que a empresa liderada por Rodrigo Costa anunciou que o aumenta de capital anteriormente anunciado pela cotada será feito a 1,877 euros por acção.

Também na energia, a EDP Renováveis desceu 0,60% para 6,952 euros, enquanto a Galp Energia somou 0,37% para 16,28 euros. 

Do lado das perdas destaque ainda para os CTT que deslizaram 0,80% para 3,235 euros, com os correios nacionais a negociarem perto do mínimo histórico registado na última sessão. 

Nota ainda para a Novabase que afundou 9,83% para 3,239 euros, no dia em que começou a descontar o dividendo de 50 cêntimos que será pago a partir de 15 de Novembro, tendo tocado durante a sessão em mínimos de 27 de Julho. Comparando com o preço de fecho de sexta-feira e já descontado o dividendo, as acções da Novabase teriam subido 4,7% na sessão de hoje. 

A travar uma maior descida do PSI-20 esteve o BCP que subiu 1,12% para 0,2523 euros no dia em que o banco apresentado resultados. Os analistas antecipam lucros superiores a 130 milhões de euros entre Janeiro e Setembro deste ano

(Notícia actualizada às 17:00)




pub