Bolsa Bolsa nacional em queda ligeira em linha com a Europa

Bolsa nacional em queda ligeira em linha com a Europa

Lisboa, tal como a maioria das principais praças europeias, arrancou a sessão desta terça-feira em terreno negativo. Um comportamento que tem lugar depois de um ataque, que as autoridades suspeitam ser de origem terrorista, em Manchester, Reino Unido.
Bolsa nacional em queda ligeira em linha com a Europa
Bruno Simão/Negócios
Ana Laranjeiro 23 de maio de 2017 às 08:17

A bolsa nacional arrancou a sessão desta terça-feira, 23 de Maio, em queda ligeira, em linha com as principais praças europeias. Um comportamento que tem lugar depois de, na noite desta segunda-feira, ter ocorrido uma explosão na cidade de Manchester, após um concerto da cantora norte-americana Ariana Grande. Morreram 22 pessoas e mais de 50 ficaram feridas.

A polícia, numa declaração feita esta manhã, refere que tem tratado este ataque como "um incidente terrorista" e que foi levado a cabo por apenas uma pessoa. O atacante, confirmou a polícia, morreu no Manchester Arena, local onde decorreu o concerto.

A incerteza penaliza activos de maior risco como as acções e beneficia os de refúgio, como o ouro e a moeda japonesa, o iene.

Em Lisboa o PSI-20 abriu a ceder 0,08% para 5.174,00 pontos. A penalizar a evolução do índice estão nomeadamente os títulos do sector energético e do BCP.

As acções do banco liderado por Nuno Amado cedem 0,23% para 21,25 cêntimos. O Montepio recua 1,92% para 40,9 cêntimos.

Na energia, a EDP desliza 0,16% para 3,142 euros e a EDP Renováveis perde 0,24% para 6,993 euros. A REN recua 0,10% para 2,931 euros.

A Galp Energia cede 0,04% para 14,24 euros, numa altura em que os preços do petróleo estão em queda nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para Portugal, perde 0,89% para 53,39 dólares por barril.

A Nos cede 0,07% para 5,451 euros.

A marcar o dia nos mercados esta terça-feira vai estar a divulgação de dados económicos. Na Europa, a Alemanha divulga o índice Ifo de clima económico, com dados relativos a Maio. Nos EUA, destaque para as vendas de casas novas em Abril, estimando-se que se tenham mantido em máximos de nove anos.

Outro foco de atenção do mercado será o encontro dos ministros das Finanças da União Europeia (Ecofin), que estarão reunidos para debater os mecanismos de resolução de disputas em matéria de dupla tributação, a base comum de um imposto sobre o rendimento colectivo e outras questões. Isto depois de ontem a reunião dos ministros das Finanças da Zona Euro (Eurogrupo) ter terminado sem um acordo sobre o desembolso de mais dinheiro para Grécia e sem data marcada para o alívio da dívida.

(Notícia actualizada pela última vez às 08:23 com mais informação)




A sua opinião29
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 23.05.2017

Nojo sonae. Vai fechar negativa !

Anónimo 23.05.2017

É que estávamos todos habituados a ganhar bom dinheiro com a Sonae. E agora esta mer..d..a é a pior de todas ! E hoje outra vez...

Anónimo 23.05.2017

Não se aguenta tanto manjerico a chorar pela sonae ! Vendam Karago !

Anónimo 23.05.2017

Lamentavelmente o morcão Ooops tem razão ! O indice sobe e a sgps sonae desce !

ver mais comentários