Bolsa Bolsa nacional em queda penalizada pela EDP e Jerónimo Martins

Bolsa nacional em queda penalizada pela EDP e Jerónimo Martins

A bolsa nacional começou a sessão desta terça-feira em queda, em linha com as restantes praças europeias, penalizada nomeadamente pela EDP e pela Jerónimo Martins.
A carregar o vídeo ...
Ana Laranjeiro 21 de novembro de 2017 às 08:15

Nesta segunda sessão da semana, a bolsa nacional arrancou o dia em queda, em linha com as principais praças europeias. O PSI-20 desce 0,04% para 5.278,01 pontos, com nove cotadas em alta, cinco em queda e quatro inalteradas.

Na Europa, o sentimento, é para já, de perdas ligeiras, numa altura em que os investidores aguardam para perceber se a Alemanha vai ter, ou não, novas eleições depois das negociações entre a CDU de Merkel e os liberais do FDP e os Verdes terem falhado.

Ainda no panorama internacional, nota para o facto de Londres, de acordo com a cadeia de televisão ITV, estar disponível para pagar uma factura mais elevada pelo Brexit, o que pode ajudar a desbloquear as negociações entre Bruxelas e o Reino Unido.

Em Lisboa, destaque para as acções da EDP e da Jerónimo Martins, os títulos que mais pressionam a bolsa nacional neste arranque de sessão.

A EDP desvaloriza 1,78% para 2,87 euros, depois de o banco de investimento Morgan Stanley ter reduzido a recomendação para a eléctrica.

Ainda no sector energético, a EDP Renováveis abriu inalterada nos 6,876 euros, enquanto a Galp Energia ganha 0,16% para 15,795 euros. A REN, que hoje negoceia sem os direitos incorporados do aumento de capital, soma 0,48% para 2,485 euros.

A Jerónimo Martins desce 0,25% para 15,935 euros e a Sonae segue inalterada nos 1,021 euros.

Por outro lado, a Nos sobe 0,38% para 5,49 euros. Um comportamento que tem lugar depois de, ontem, num "research", os analistas do BPI admitiram que se a pressão sobre a Altice continuar a aumentar, a empresa terá de se focar no principal, e isso poderá fazer reduzir a sua atenção sobre o mercado nacional. A principal beneficiária será a Nos. Ainda assim, este não é o cenário central.

No sector da pasta e do papel, a Altri valoriza 0,97% para 5,318 euros, a Semapa aprecia 0,67% para 15,89 euros e a Navigator cede 0,07% para 4,172 euros.

A Mota-Engil cresce 0,28% para 3,245 euros, depois de o CaixaBI ter revisto as suas estimativas para a Mota-Engil e estabeleceu a avaliação da empresa para 2018, elevando o preço-alvo. Ainda assim, o potencial é de uma queda superior a 10%, o que justifica a recomendação de "reduzir".

 

(Notícia actualizada às 8:22)




pub