Bolsa Bolsa nacional em queda penalizada por JM e grupo EDP

Bolsa nacional em queda penalizada por JM e grupo EDP

A bolsa nacional encerrou a sessão em queda, penalizada pelas acções da Jerónimo Martins e do grupo EDP. Entre as restantes praças europeias, o sentimento é também de perdas.
Bolsa nacional em queda penalizada por JM e grupo EDP
Bloomberg
Ana Laranjeiro 01 de Dezembro de 2016 às 16:47

A bolsa nacional não escapou ao sentimento negativo das restantes praças europeias. O PSI-20 terminou a sessão a cair 0,42% para 4.436,25 pontos, com dez cotadas em queda, sete em alta e uma inalterada. Entre as restantes praças europeias, o sentimento é também de perdas. O principal índice grego lidera as quedas no Velho Continente, tendo recuado 2,38%.

Os investidores estão de olhos postos em Itália, onde no domingo se realiza um referendo sobre a reforma constitucional proposta pelo primeiro-ministro, Matteo Renzi. Se esta reforma for rejeitada, os analistas apontam que as obrigações italianas e os títulos dos bancos sejam alvo de grande volatilidade. Além disso, um clima de instabilidade política poderá ser uma das consequências deste referendo, uma vez que Renzi avisou que se demitirá se o "não" ganhar.

Ainda assim, para já, o principal índice italiano é o único com sinal mais, registando uma valorização superior a 0,50%. Isto depois de terem sido divulgados dados económicos que mostram alguns sinais positivos em Itália.


O mercado está focado ainda na divulgação de dados relativos ao emprego nos Estados Unidos, que vão ser conhecidos amanhã. Em Dezembro, terão lugar encontros dos bancos centrais quer da Zona Euro, quer nos Estados Unidos, algo que vai captar a atenção dos investidores.


Por cá, destaque pela negativa para as acções da Jerónimo Martins e grupo EDP.


A retalhista Jerónimo Martins terminou o dia a cair 2,68% para 14,51 euros. Já a rival Sonae desvalorizou 1,89% para 78 cêntimos.


No grupo EDP, a casa-mãe desceu 1,03% para 2,699 euros e a EDP Renováveis perdeu 1,27% para 5,93 euros. 


A REN recuou 1,55% para 2,539 euros.

Já a Galp Energia subiu 2,59% para 13,095 euros, isto numa altura em que os preços do petróleo registam fortes subidas nos mercados internacionais. O Brent do Mar do Norte, referência para as importações nacionais, cresce 4,59% para 54,22 dólares por barril.

Os CTT desvalorizam 1,36% para 5,795 euros.


A Nos desliza 0,58% para 5,318 euros.


Na banca, o dia terminou com sinal mais. O BCP somou 0,25% para 1,183 euros. E o BPI avançou 0,09% para 1,128 euros.


No sector da pasta e do papel, a Navigator cresceu 1,67% para 2,983 euros, a Semapa avançou 1,07% para 12,28 euros. E a Altri apreciou 0,52% para 3,679 euros.

(Notícia actualizada às 16:55)




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
RFPB Há 4 dias

Por acaso a cotada que mais subiu hoje, não foi a mota engil?

investidor Há 4 dias

EDP , venda forte, preço das ações devem aproximar-se dos 2.50 euros, J. martins correção vai continuar. por outro lado os touros puxam em forte peias papeleiras , em especial a Navigator, que deve bater os 4.80 euros,

pub