Bolsa Bolsa nacional fecha em queda pressionada pela EDP e JM

Bolsa nacional fecha em queda pressionada pela EDP e JM

A praça lisboeta fechou no vermelho num dia em que os títulos do grupo EDP pressionaram, em especial a EDP que recuou e acumulou a maior série de perdas do último meio ano.
Bolsa nacional fecha em queda pressionada pela EDP e JM
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 27 de junho de 2017 às 16:44

O PSI-20 encerrou a sessão desta terça-feira, 27 de Junho, a perder 0,79% para 385,99 pontos, com 15 cotadas em queda e as restantes cinco em alta. Depois de ao início da manhã a bolsa lisboeta ter chegado durante alguns minutos a negociar em alta, acabou por transaccionar no vermelho no resto do dia.

 

O principal índice nacional acompanhou a tendência de perdas que predominou na Europa, com o Stoxx 600, que agrega as 600 maiores cotadas do Velho Continente, a negociar em terreno negativo ao longo de toda a sessão. A pressionar as principais bolsas europeias esteve, em especial, o sector automóvel que recuou cerca de 1,5%.

 

No plano nacional foi a EDP que mais pressionou, com a empresa liderada por António Mexia a perder 1,77% para 2,892 euros, no sexto dia consecutivo a negociar em queda, o que representa a maior série de perdas para a eléctrica desde que na sessão de 10 de Janeiro último culminou um ciclo de seis dias seguidos a perder valor. A cotada negociou nos 2,887 euros por acção, o valor mais baixo desde 27 de Março.

 

A EDP Renováveis seguiu a tendência fechando a recuar 0,43% para 6,97 euros, enquanto a REN resvalou 1,98% para 2,778 euros.

Ainda na energia e em contraciclo, a Galp avançou 1,03% para 13,215 euros, seguindo a tendência de ganhos do petróleo nos mercados internacionais, numa altura em que o crude transaccionado em Londres e em Nova Iorque valoriza acima de 2% para o maior ciclo de valorizações no espaço de um mês.

Também a penalizar a bolsa nacional esteve a Jerónimo Martins que desvalorizou 2,15% para 17,32 euros, um sentimento contrariado pela outra retalhista, a Sonae que ganhou 0,85% para 0,945 euros. 

Com quedas superiores a 1% encerraram também a Nos (-1,61% para 5,452 euros), a Mota-Engil (-1,88% para 2,559 euros) e a Semapa (-1,54% para 16,955 euros).

Nota negativa ainda para a Navigator, que resvalou 0,96% para 3,907 euros, e para o sector financeiro, com o BCP a recuar 0,30% para 0,2355 euros e as unidades de participação do Montepio a caírem 1,46% para 0,473 euros. 

(Notícia actualizada às 16:51)




A sua opinião38
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado rosa pereira Há 3 semanas

A tal notícia era de 2008 e o Nuno Amado era o Presidente Executivo do Santander Totta.
Era só para ver se estavam atentos

Bons negócios

comentários mais recentes
Criador de Touros Há 3 semanas

rosa pereira, amiga do bcp
sabes ando com uma tesão
sinto algo por ti

Anónimo Há 3 semanas

rosa pereira ninguém te lê nem ao ranhoso nem ao massa bruta ninguém vos liga

NAVIGATOR- DIVIDENDO Há 3 semanas

só para recordar os distraídos . dia 5 de julho mais um dividendo da PORTUCEL. quem não quiser o dividendo tem que vender já na sexta feira, se quiser receber , 2ª feira é o dia do ex dividendo, a ação abre já com este desconto. eu vendo sexta e compro na 2ª na abertura do mercado,

rosa pereira Há 3 semanas

A tal notícia era de 2008 e o Nuno Amado era o Presidente Executivo do Santander Totta.
Era só para ver se estavam atentos

Bons negócios

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub