Bolsa Bolsa nacional no vermelho pela segunda sessão pressionada pela energia

Bolsa nacional no vermelho pela segunda sessão pressionada pela energia

O praça lisboeta fechou em terreno negativo pelo segundo dia, penalizada pelas perdas registadas pelo sector energético. Isto num dia de fortes ganhos nas praças europeias.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 15 de dezembro de 2016 às 16:46

O PSI-20 encerrou a sessão desta quinta-feira, 15 de Dezembro, a ceder ligeiros 0,04% para 4.597,60 pontos, com sete cotadas a negociar em queda e as restantes sete em queda, naquele que foi o segundo dia consecutivo a transaccionar em terreno negativo. 

A bolsa lisboeta contrariou a tendência predominante na generalidade das principais praças do Velho Continente que negociaram em alta num dia em que o euro já tocou no valor mais baixo desde Dezembro de 2002, com a moeda única europeia a ser pressionada pela decisão da Fed de subir a taxa de juro de referência dos Estados Unidos. O aumento da taxa de referência já era esperada, sendo que o banco central deu indicações que poderá efectuar três aumentos em 2017.  

A pressionar a bolsa nacional esteve o sector energético. A EDP Renováveis perdeu 2,13% para 5,70 euros depois de ter anunciado ontem que a sua subsidiária nos Estados Unidos encaixou 114 milhões de dólares (107 milhões de euros) em mais um de vários acordos que aproveitam os benefícios fiscais concedidos nesta área. A EDP cedeu 0,18% para 2,85 euros.

 

Já a Galp Energia perdeu 0,21% para 14,10 euros acompanhando a tendência de queda do preço do petróleo nos mercados internacionais numa altura em que, em Londres, o Brent está a cair 0,87% para 53,43 dólares por barril. Nota ainda para a REN que terminou o dia a cair 1,10% para 2,60 euros.

 

O sector financeiro fechou sem tendência definida, com o BPI a recuar ténues 0,09% para 1,128 euros e o BCP a ganhar 0,28% para 1,093 euros, isto depois de ter desvalorizado mais de 19% nas últimas quatro sessões.

 

A travar uma queda mais acentuada do PSI-20 esteve o sector do retalho e os CTT. A Jerónimo Martins ganhou 0,34% para 14,975 euros e a Sonae avançou 1,44% para 0,843 euros. Por fim, os CTT cresceram 2,71% para 6,219 euros. 


(Notícia actualizada às 16:59)


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Antunes . 15.12.2016

Olá boa noite para todos. Entrei a uma semana atrás na Altri e pela primeira vez estou a ter alguns lucros assinaláveis. Esta ação subio bem a 2 ou 3 semanas, que aguentei uma semana a fazerem mais-valias. Vamos ver se a Altri até ao final do ano sobe um pouco mais para eu concretizar um bom negócio. Bons negócios para todos. Cumprimentos.

comentários mais recentes
Antunes . 15.12.2016

Olá boa noite para todos. Entrei a uma semana atrás na Altri e pela primeira vez estou a ter alguns lucros assinaláveis. Esta ação subio bem a 2 ou 3 semanas, que aguentei uma semana a fazerem mais-valias. Vamos ver se a Altri até ao final do ano sobe um pouco mais para eu concretizar um bom negócio. Bons negócios para todos. Cumprimentos.

investidor 15.12.2016

SENHORES JORNALISTAS DESTE JORNAL, POR FAVOR NAO FALEM NAS PAPELEIRAS, POR CAUSA DO AGOIRO, AGORA QUE VAO DE VENTO EM POPA, MANTENHAM-SE CALADOS OS ACIONISTAS AGRADECEM

pub