Bolsa Bolsa nacional perdeu quase 1% pressionada pela energia e retalho

Bolsa nacional perdeu quase 1% pressionada pela energia e retalho

A praça lisboeta recuou perto de 1% num dia de perdas na Europa. Sector energético e retalho penalizaram o PSI-20. Em queda fechou ainda o BCP.
A carregar o vídeo ...
David Santiago 23 de janeiro de 2017 às 16:43

O PSI-20 fechou a sessão desta segunda-feira, 23 de Janeiro, a perder 0,90% para 4.560,06 pontos, com 14 cotadas em queda. A bolsa lisboeta seguiu a tendência de perdas registada na generalidade das principais praças europeias, que negociaram no vermelho pelo terceiro dia consecutivo. O Stoxx 600 deslizou 0,50% para 360,78 pontos.

 

No plano nacional foi a energia que mais pressionou. A Galp Energia recuou 1,21% para 13,855 euros, numa altura em que o petróleo segue em queda nos mercados internacionais pela primeira vez em três sessões, isto depois de o número de plataformas perfuradoras nos Estados Unidos ter registado o maior aumento em três anos. Nesta altura, o Brent, negociado em Londres e utilizado como valor de referência para as importações nacionais, está a cair 0,29% para 55,33 dólares por barril. 

 

Ainda na energia, a EDP perdeu 2,16% para 2,72 euros, naquela que é a maior queda diária desde 3 de Novembro, a EDP Renováveis caiu 0,85% para 5,71 euros e a REN resvalou 0,31% para 2,572 euros.

 

Nota negativa também para o sector do retalho, com a Sonae a desvalorizar 3,04% para 0,83 euros, a maior desvalorização diária desde a sessão de 13 de Setembro, e a Jerónimo Martins a deslizar 1,57% para 15,67 euros. 

Nota negativa também para a Nos que perdeu 0,81% para 5,172 euros num dia em que a operadora de telecomunicações chegou a transaccionar em mínimos de Janeiro de 2015 ao tocar nos 5,068 euros por acção. 

Esta segunda-feira o BPI cortou o preço-alvo atribuído a várias cotadas. O da Nos foi reduzido para 5,80 euros por acção, deixando inalterada a recomendação de neutral. Também os preços-alvo da EDP, Jerónimo Martins e REN foram revistos em baixa, embora de forma ligeira.

Por outro lado, o BPI colocou hoje a Corticeira Amorim e a EDP Renováveis na sua lista de cotadas nacionais preferidas. A Corticeira Amorim somou 1,02% para 8,623 euros.

Destaque ainda pela negativa para a Altri que caiu 1,92% para 4,028 euros num dia em que a cotada chegou a negociar em máximos de 19 de Janeiro de 2016 ao tocar nos 4,154 euros. 

Já no sector financeiro o sentimento foi dividido. O BCP recuou 0,44% para 0,1568 euros numa sessão em que os direitos que permitem a aquisição de novas acções valorizaram 7,32% para 0,88 euros. Os títulos do banco liderado por Nuno Amado valorizaram na sessão de sexta-feira já depois de a CMVM ter impedido o "short selling", ou seja, a realização de apostas na queda das acções do banco. Esta segunda-feira os títulos da instituição já não foram transaccionados com esta proibição.

O BPI e a Caixa Geral Montepio encerraram a sessão inalterados nos 1,132 euros e 0,412 euros, respectivamente. Depois de ter negociado nos 0,401 euros, a Caixa Geral Montepio estabeleceu um novo mínimo histórico. 


(Notícia actualizada às 16:58)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub