Bolsa Bolsa nacional soma ganhos pela quarta sessão apoiada pela Sonae

Bolsa nacional soma ganhos pela quarta sessão apoiada pela Sonae

A praça lisboeta terminou o dia a negociar em alta, o quarto consecutivo em terreno positivo. Num dia de ganhos na Europa e de máximos em Wall Street, foram as subidas da Sonae e da Navigator que mais impulsionaram.
Bolsa nacional soma ganhos pela quarta sessão apoiada pela Sonae
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 22 de Novembro de 2016 às 16:42

O PSI-20 encerrou a sessão desta terça-feira, 22 de Novembro, a valorizar 0,07% para 4.441,67 pontos, com 11 cotadas a negociar em alta e as restantes sete em queda, naquele que foi o quarto dia seguido em que o principal índice nacional registou ganhos. Isto numa altura em que os juros da dívida pública portuguesa continuam a registar importantes descidas já pelo segundo dia consecutivo.

 

A bolsa lisboeta seguiu a tendência verificada nas principais praças europeias numa sessão em que o índice de referência europeu Stoxx 600 transaccionou no valor mais elevado em quase duas semanas.

 

Nota ainda para Wall Street que no início da sessão de hoje renovou máximos históricos, depois de já ontem ter registado níveis recorde em quatro dos seus principais índices, algo que aconteceu pela primeira vez desde 1999.

 

No plano nacional foi a Sonae que mais impulsionou ao avançar 3,17% para 0,781 euros.

Ainda no sector do retalho mas em sentido inverso, a Jerónimo Martins acabou o dia a perder 0,47% para 14,76 euros, isto num dia em que o CaixaBI subiu o preço-alvo da retalhista de 15,20 euros para 16,30 euros.

 

Também a contribuir para os ganhos da bolsa nacional estiveram as cotadas ligadas ao sector do papel. A Navigator ganhou 1,89% para 2,748 euros, a Semapa apreciou 3,12% para 12,225 euros e a Altri cresceu 3,16% para 3,456 euros.

 

Já os sectores financeiro e energético negociaram sem tendência definida. Na energia a EDP Renováveis subiu ténues 0,05% para 6,006 euros no dia em que a unidade de investimento do BPI reforçou a aposta na cotada liderada por Manso Neto.

 

Em sentido contrário, a EDP perdeu 0,44% para 2,723 euros e a Galp Energia recuou 0,55% para 12,595 euros.

 

Na banca o BPI somou ligeiros 0,09% para 1,129 euros enquanto o BCP desvalorizou 1,51% para 1,2213 euros numa altura em que se aguarda pela assembleia geral do banco, a 19 de Dezembro, que deverá determinar o aumento do limite dos direitos de voto de 20% para 30%, correspondendo assim a uma das exigências feita pelos chineses da Fosun para entrarem no capital da instituição liderada por Nuno Amado.


(Notícia actualizada às 16:51)




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

bcp o maior cancro da bolsa gerido por um ceo que é o maior cancro nos negócios, faz de conta,mesmo que os pequenos acionistas continuem a sua lenta agonia tal como o bcp, gerido por incompetente nunca visto que devia ter sido corrido logo no seu 1º ano de mandato..o bcp já nem com chinocas lá vai!

Pedro Lima Há 1 semana

A notícia deveria ser a bolsa portuguesa manteve-se inalterada na sessão de hoje. ;)

INVESTIDOR Há 1 semana

ESTOU FARTO DE GRITAR , COMPREM NAVIGATOR, NINGUÉM ME HOUVE, ATÉ ANTUNES DESAPARECEU, POIS BEM AINDA VÃO A TEMPO, TARGET DE 4.80 EUROS, INVESTIR E SABER ESPERAR,

Anónimo Há 1 semana

EDP. em breve nos 2.50 euros. tem haver com a eleição de TRUNP e medidas sobre a energia .

pub