Bolsa Bolsa portuguesa já sobe 5% em 2017 após máximos do BCP e Navigator

Bolsa portuguesa já sobe 5% em 2017 após máximos do BCP e Navigator

À boleia do sentimento positivo que se vive nas praças mundiais, o PSI-20 atingiu um novo máximo desde Agosto de 2015. Quatro cotadas do índice também tocaram em máximos.
A carregar o vídeo ...

A bolsa nacional fechou a valorizar pela segunda sessão consecutiva, reforçando a tendência positiva das principais bolsas mundiais, que estão a ter um arranque de ano de ganhos acentuados devido às perspectivas para uma evolução positiva e sincronizada da economia a nível global.

 

O PSI-20 ganhou 0,15% para 5.654,24 pontos, com 13 cotadas em alta, quatro em queda e uma sem variação. O índice registou a quinta sessão de ganhos nas seis deste ano, acumulando já uma valorização de 4,935% em 2018, o que corresponde a cerca de um terço dos ganhos alcançados pelo índice no ano passado (+15,15%).

 

O índice português reforçou assim máximos de mais de dois anos, tendo pela primeira vez desde Agosto de 2015 superado a barreira dos 5.700 pontos. Nas praças europeias a tendência também é de ganhos, com o Stoxx a valorizar pela quinta sessão seguida (série de ganhos mais longa desde o final de Outubro do ano passado), atingindo igualmente máximos de Agosto de 2015.

Quatro cotadas do PSI-20 em máximos

 

O BCP, que apresenta o peso mais elevado no PSI-20, continua ser o principal impulsionador do índice neste arranque de ano. As acções do banco liderado por Nuno Amado fecharam a subir 0,63% para 0,3027 euros, tendo ao longo da sessão atingindo um novo máximo desde Junho de 2016. 

Mas não é a única cotada em destaque. A Navigator também está a negociar em máximos de Abril de 2015, tendo já tocado nos 4,62 euros. As acções fecharam o dia a ganhar 1,28% para 4,58 euros. A contribuir para o bom momento das acções está a venda do seu negócio de pellets nos Estados Unidos, que poderá render um ganho de 16,6 milhões de euros, segundo a informação prestada ontem ao final do dia. 

Este montante encaixado poderá servir, entre outras coisas, para distribuir dividendos, segundo alguns analistas. A expectativa de manutenção de uma política atractiva de distribuição de lucros pelos accionistas é uma das razões para que o CaixaBI mantenha a ex-Portucel na lista das cotadas preferidas.  

Na lista de "top picks" do CaixaBI constam também a Sonae Capital e a Nos. As acções da Sonae Capital subiram 1,95% para 0,941 euros e a Nos avançou 0,09% para 5,575 euros.


Em máximos históricos está também a Semapa, que acaba por beneficiar do optimismo em relação à Navigator. As acções já tocaram nos 18,66 euros e fecharam o dia a valorizar 1,41% para 18,66 euros. 

 

A Sonae completa o lote das quatro cotadas do PSI-20 em máximos de pelo menos 52 semanas. A "holding" que controla o Continente ganhou 0,42% para 1,193 euros, tendo ficado um máximo desde Agosto de 2015.

As acções da EDP registaram uma variação negativa depois de ter sido revelado que António Mexia foi proposto pelo núcleo duro de accionistas da EDP para presidente do Conselho de Administração Executivo, sendo Luís Amado sugerido para presidente do Conselho Geral e de Supervisão, para o triénio 2018-2020. Os títulos da eléctrica caíram 0,87% para 2,952 euros.

 

Quanto aos restantes pesos pesados do PSI-20, a Jerónimo Martins cedeu 0,91% para 16,795 euros e a Galp Energia caiu 0,35% para 15,845 euros.

 

Fora do PSI-20 destaque para Teixeira Duarte, que avançou 5,36% para 0,295 euros e já dispara mais de 30% desde o início do ano.

 

(notícia actualizada às 17:00 com mais informação)




Saber mais e Alertas
pub