Bolsa Bolsa sobe mais de 1% impulsionada pela Nos e pela energia

Bolsa sobe mais de 1% impulsionada pela Nos e pela energia

As bolsas europeias arrancaram esta segunda-feira com ganhos superiores a 1% e Lisboa não é excepção. O ganho de quase 3% da Nos e a subida do sector da energia justificam em grande parte a subida, numa altura em que a esmagadora maioria das cotadas está a apreciar.
Sara Antunes 07 de Novembro de 2016 às 08:07
O PSI-20 sobe 1,31% para 4.536,80 pontos, com 16 cotadas em alta e duas inalteradas. A praça nacional acompanha a tendência de ganhos acentuados no resto da Europa, num arranque de sessão marcado pelo verde. Os investidores estão, por um lado, a aliviar a pressão sobre as bolsas, depois de na semana passada se ter assistido a quedas acentuadas. Por outro lado, as eleições dos EUA continuam a marcar a negociação e as últimas sondagens voltam a dar a vitória a Hillary Clinton, que teve um "bónus" neste final de campanha, com o FBI a ilibar Clinton no caso dos emails

Na bolsa nacional, a Nos é a cotada que mais se destaca, ao subir 2,88% para 5,929 euros, no dia em que serão conhecidos os números do terceiro trimestre do ano da operadora liderada por Miguel Almeida. Os analistas do CaixaBI estimam que a Nos tenha fechado os primeiros nove meses do ano com lucros de 74,5 milhões de euros, mais 2,6% do que há um ano. 

A impulsionar a bolsa está também o sector da energia, com a Galp a ganhar 1,61% para 12,005 euros, depois desta manhã ter revelado que reforçou a presença em São Tomé e Príncipe através da compra de uma participação de 20% em três blocos. 

Ainda na energia, a EDP avança 1,65% para 2,897 euros, enquanto a EDP Renováveis cresce 0,71% para 6,415 euros. 

Na banca, o BCP avança 0,33% para 1,1689 euros, a dois dias de apresentar os resultados até Setembro e de decorrer a assembleia geral de accionistas, onde se vai deliberar sobre o aumento do limite de votos de 20% para 30%, um passo determinante para a entrada da Fosun no capital do banco liderado por Nuno Amado. O BPI aprecia 0,18% para 1,13 euros, enquanto as unidades de participação do Montepio ainda não negociaram.

A outra cotada que não está a impulsionar a bolsa é a Pharol ao seguir estável nos 0,248 euros. 

(Notícia actualizada às 8:14 com mais cotações)



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Asdrúbal Há 4 semanas

Mota e Engil umas das cotadas que está perdendo muito pouco durante todo o ano.
Ainda a semana passada, enquanto outras ações perderam bastante a Mota e Engil só perdeu 4% e já está recuperando.
Bons negocios fez este ano está construtora na América latina. Jorge coelho e Paulo portas dois mestres em negócios.
Aposto que com a vitória de Clinton nos EUA e depois a estabilização do petróleo por parte da opep está cotada até ao final do ano passe os 2.euros.

Anónimo Há 1 hora

CTT a romper a resistência dos 6.20. Até aos dividendos vai subir muito, deverá ir acima dos 8 euros, devido à entrada dos institucionais. Aproveitar o saldo.

Anónimo Há 1 hora

COFINA: INVERSÃO DA QUEDA
Receitas de jornais e TV no 1ºSem./16 caíam -1% (para 39,9 M€), 3 meses após no conjunto de 9 meses/2016 já sobem 0,9% (para 61,1 M€). Dívida liquida continua a baixar,para 56,5 M€,menos 2,1 M€ que final de Junho/16. E, tem lucros de 3,6 M€ nos 9 meses. COMPRAR FORTEMENTE.

ALTRI Há 2 horas



Alguém quer receber dividendos (grandes) ainda este ano da ALTRI?

Alguém quer receber dividendos (grandes) outra vez em Maio da ALTRI?

pub