Bolsa Bolsa em queda com acções dos CTT em mínimos

Bolsa em queda com acções dos CTT em mínimos

O PSI-20 inverteu para terreno negativo numa sessão em que acções as acções dos CTT caem mais de 1% e já fixaram num novo mínimo de Janeiro de 2014.
Nuno Carregueiro 06 de Outubro de 2016 às 09:35

A bolsa nacional segue em terreno negativo, anulando os ganhos da manhã e contrariando a tendência de alta ligeira das principais praças europeias.


O PSI-20 desce 0,3% para 4.561,59 pontos, com 13 cotadas em queda, três em alta e duas sem variação. Nas restantes praças europeias os índices ainda marcam ganhos ligeiros, em linha com a tendência das praças asiáticas e Wall Street.


Ontem foram publicados dados que deram conta de uma aceleração nos sectores industrial e dos serviços nos Estados Unidos. Estes dados elevaram as probabilidades de a Fed subir os juros já em Dezembro (está agora em 64%), o que agradou aos investidores.


Em Lisboa o arranque de sessão está a ser marcado por um novo mínimo dos CTT, com a cotada a acentuar a tendência de queda das últimas semanas. As acções recuam 1,38% para 5,788 euros, o valor mais baixo desde Janeiro de 2014 (pouco depois da cotada ter sido admitida à negociação na bolsa portuguesa).


As cotadas do sector energético também pressionam o PSI-20, numa sessão em que o petróleo está a corrigir. O Brent em Londres desvaloriza 0,77% para 51,46 dólares e o WTI em Nova Iorque cede 0,84% para 49,41 dólares.  


A Galp Energia desvaloriza 0,2% para 12,355 euros. A EDP recua 0,18% para 2,815 euros e a EDP Renováveis cede 0,58% para 6,81 euros.


A Jerónimo Martins recua 0,06% para 15,70 euros no dia em que o Haitong cortou a recomendação das acções de "comprar" para "neutral". O preço-alvo é de 16,70 euros.


Ainda do lado das quedas destaca-se a Pharol, com uma queda de 1,57% para 0,251 euros. A Oi anunciou que falharam as negociações para o fundo norte-americano Elliot, de Paul Singer, injectar 10 mil milhões de reais na empresa brasileira que está em recuperação judicial.

Acções dos CTT com tendência de queda desde Setembro do ano passado:



 

 




A sua opinião14
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 06.10.2016

CTT mina de ouro dos shortas. Os privados a administrar dá nisto, só pensam no que metem no bolso ao final do mês. Esta cotada vai ser a ruina de muitos.

Anónimo 06.10.2016

Os acionistas das SONAES não têm tido nenhuma atenção por parte dos gestores.Noticias que por vezes aparecem na imprensa dão conta que estas empresas estão em muitos inventos, e bem recebem muitos prémios e bem dão subsídios a algumas instituições carenciadas e,bem mas, para o acionista nada,MAL.

Anónimo 06.10.2016

É muito duvidoso este percurso da SONAE SPGS!Dá a entender que há grandes interesses na sua trajetória negativa.Todos os analistas e não só os seus investimentos apontam que esta valha bastante mais,o dobro do valor que neste momento está a sua cotação .69euros.

Anónimo 06.10.2016

O cancro da SONAE SGPS já está novamente a entrar no normal(BAIXA).

ver mais comentários
pub