Bolsa Bolsas dos EUA descem pela primeira vez em sete sessões com notícias da China

Bolsas dos EUA descem pela primeira vez em sete sessões com notícias da China

As bolsas norte-americanas estão a ser penalizadas pela notícia de que a China poderá reduzir as compras de obrigações do Tesouro dos Estados Unidos.
Bolsas dos EUA descem pela primeira vez em sete sessões com notícias da China
Reuters
Rita Faria 10 de janeiro de 2018 às 14:40

Os principais índices norte-americanos estão a negociar em queda esta quarta-feira, 10 de Janeiro, pela primeira vez em sete sessões, penalizados pela notícia de que a China está a considerar abrandar o ritmo de compras de dívida dos Estados Unidos.

 

Os receios de que a dívida soberana dos Estados Unidos esteja a perder atractividade para Pequim estão a penalizar o dólar face às principais congéneres mundiais, a levar os juros das obrigações norte-americanas para máximos, e a pressionar as acções.

 

O índice industrial Dow Jones desce 0,31% para 25.307,34 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq recua 0,40% para 7.134,97 pontos. Já o S&P500 desvaloriza 0,26% para 2.743,08 pontos. Os três índices tocaram em novos máximos na sessão de ontem.

 

"A subida das ‘yields’ está a ser provocada pelas notícias de que responsáveis chineses estão a recomendar uma diminuição das compras de obrigações do Tesouro norte-americano", refere Antoine Bouvet, estrategista da Mizuho, citado pela Reuters. "O mercado está a descontar essa possibilidade, mas ainda não temos pormenores sobre isto".

 

Segundo a agência noticiosa, uma combinação de factores tem feito subir as ‘yields’ das obrigações, a nível global, nas últimas semanas, entre os quais o crescimento económico mundial e a subida dos preços do petróleo, que estão a levar os investidores a especular que os grandes bancos centrais poderão reduzir os seus programas de estímulo mais cedo.

 

Alguns investidores acreditam que a decisão do Banco do Japão de reduzir as suas compras de obrigações, anunciada esta semana, é um sinal disso mesmo.