Bolsa Bolsas dos EUA em alta ligeira não descolam de máximos

Bolsas dos EUA em alta ligeira não descolam de máximos

O Nasdaq e o Dow Jones já atingiram novos recordes, em mais uma sessão marcada pelo optimismo em torno do plano fiscal de Trump e de uma subida mais rápida dos juros nos EUA.
Bolsas dos EUA em alta ligeira não descolam de máximos
Reuters
Rita Faria 16 de fevereiro de 2017 às 14:40

Os principais índices norte-americanos estão a negociar em alta ligeira esta quinta-feira, 16 de Fevereiro, na oitava sessão consecutivas de ganhos para o Nasdaq e S&P500.

 

As bolsas dos Estados continuam a ser animadas pela expectativa de uma subida mais rápida dos juros nos Estados Unidos e pela reforma fiscal prometida pelo presidente Donald Trump, que a apelidou de plano "fenomenal".

 

O índice industrial Dow Jones avança 0,10% para 20.633,03 pontos, um novo recorde, enquanto o S&P500 valoriza 0,02% para 2.349,63 pontos. Já o tecnológico Nasdaq sobe 0,11% para 5.826,10 pontos, um novo máximo histórico.

Há uma semana, Donald Trump informou que, dentro de duas a três semanas, anunciaria um plano de reforma fiscal que, juntamente com o alívio na regulação, facilitaria a vida às empresas nos Estados Unidos.

 

Esta quinta-feira – mesmo antes de ser conhecido o plano – o presidente dos Estados Unidos congratulou-se com os recordes atingidos em Wall Street, numa mensagem publicada no Twitter: ""Os mercados accionistas bateram novos máximos na sua maior série de ganhos em décadas. Grande nível de confiança e optimismo – mesmo antes da implementação do plano fiscal," escreveu Trump.

 

A contribuir para o optimismo dos mercados estão ainda as declarações da presidente da Reserva Federal norte-americana, que admitiu, perante o Senado, que será apropriado um agravamento da taxa de referência "nas próximas reuniões", disse Janet Yellen.

 

"Esperar demasiado para remover a política acomodatícia será imprudente, exigindo que a Fed eventualmente suba as taxas de juro de forma rápida, o que por sua vez pode causar uma disrupção nos mercados financeiros e levar a economia para recessão", acrescentou a presidente da autoridade monetária dos Estados Unidos. 

 

(Notícia actualizada às 14:49)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 16.02.2017

http://www.zerohedge.com/news/2017-02-16/catalyst-confirms-it-was-behind-market-move

pub