Bolsa Bolsas dos EUA ganham terreno com advertências de Yellen

Bolsas dos EUA ganham terreno com advertências de Yellen

Os principais mercados accionistas norte-americanos estavam a ceder terreno, mas conseguiram recuperar o ânimo depois de a presidente da Fed ter dito que o banco central dos EUA deve estar ciente de que uma normalização da política monetária "demasiado gradual" não é prudente.
Bolsas dos EUA ganham terreno com advertências de Yellen
Carla Pedro 26 de setembro de 2017 às 21:36

O Standard & Poor’s 500 encerrou a somar 0,01% para 2.496,84 pontos na sessão desta terça-feira e o tecnológico Nasdaq Composite também recuperou das quedas de ontem e fechou a avançar 0,15% para 6.380,16 pontos.

 

O Dow Jones também conseguiu retomar, mas sem chegar a terreno positivo, se bem que o recuo tenha sido marginal: cedeu 0,05% para 22.284,32 pontos.

 

As declarações da presidente da Fed ajudaram a animar o sentimento dos investidores, depois de Janet Yellen ter reiterado a vontade de normalizar a política monetária "gradualmente", dando assim sinais de que a 13 de Dezembro a Reserva Federal pode proceder à terceira subida dos juros directores este ano.

 

Yellen advertiu, contudo, para os perigos de essa normalização ser "demasiado gradual", num recado a quem possa vir a sucedê-la em Janeiro do próximo ano – já que não é certo que a actual presidente se mantenha o cargo.

Estas declarações de Janet Yellen ajudaram assim a alterar o rumo baixista das bolsas do outro lado do Atlântico nos últimos 30 minutos de negociação.

 

"Tudo aponta para que a Fed suba os juros em Dezembro, a menos que haja alguma decepção em matéria de meta da inflação", comentou à Bloomberg o principal estratega de carteiras da Evercore ISI, Dennis DeBusschere. A inflação nos EUA, recorde-se, tem-se fixado abaixo da meta de 2% almejada pela Reserva Federal.

 

A contribuir para a melhoria de tendência estiveram também as tecnológicas, a corrigirem das recentes quedas.

 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub