Bolsa Bolsas dos EUA recuperam à espera de resultados e indicações de Trump

Bolsas dos EUA recuperam à espera de resultados e indicações de Trump

Os índices norte-americanos negoceiam em alta ligeira, depois de terem sido penalizados pelas medidas anunciadas por Trump no arranque da semana.
Bolsas dos EUA recuperam à espera de resultados e indicações de Trump
Reuters
Rita Faria 24 de janeiro de 2017 às 14:38

Os principais índices norte-americanos abriram em alta ligeira esta terça-feira, 24 de Janeiro, numa altura em que os investidores estão a analisar os resultados trimestrais das empresas dos Estados Unidos e a aguardar dados mais concretos sobre os planos de Donald Trump para a economia do país.

 
O índice tecnológico Nasdaq sobe 0,25% para 5.566,68 pontos, enquanto o S&P500 ganha 0,13% para 2.267,87 pontos. Já o industrial Dow Jones contraria a tendência, com uma queda ligeira de 0,04% para 19.792,82 pontos.

 

Na sessão de ontem, as bolsas foram penalizadas pelo foco do presidente dos Estados Unidos nas medidas proteccionistas em detrimento das medidas de estímulo orçamental, cuja promessa levou Wall Street para máximos após as eleições.

 

Na segunda-feira, Trump voltou a ameaçar as empresas com imposição de pesadas tarifas sobre produtos fabricados fora do país e retirou formalmente os Estados Unidos da Parceria TransPacífico.

 

"É uma coisa importante para os trabalhadores americanos, o que acabámos de fazer", afirmou o presidente norte-americano, após assinar, na Sala Oval, o decreto presidencial que formaliza a retirada dos Estados Unido deste pacto de 2015 entre 12 países que, segundo os republicanos, seria prejudicial para o sector industrial.

 

O acordo, apoiado fortemente pelas empresas norte-americanas, foi negociado pela administração do antigo presidente Barack Obama, mas nunca chegou a ser aprovado pelo Congresso, precisamente devido à oposição republicana.

 

Esta terça-feira, além dos dados sobre a venda de casas nos Estados Unidos, o foco estará na reunião que Donald Trump vai realizar com os executivos da Ford, Fiat Chrysler e General Motors.  

Nesta altura, a Yahoo ganha 3,51% para 43,89 dólares, depois de ter apresentado ontem os lucros relativos ao último trimestre do ano passado, que superaram as estimativas dos analistas. Já a Johnson & Johnson recua 1,95% para 111,69 dólares, após ter apresentado receitas abaixo do esperado.  


(Notícia actualizada às 14:50)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 3 semanas

http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/comercio/detalhe/chineses-da-alibaba-prometem-um-milhao-de-empregos-a-trump?ref=DET_relacionadas. Digam mal do Trump, digam ! Quem nos dera tê-lo cá , em vez do costa/marcelo !

pub