Bolsa Bolsas dos EUA sobem e renovam máximos

Bolsas dos EUA sobem e renovam máximos

As bolsas dos EUA fecharam a subir, renovando máximos, a beneficiar da apresentação de resultados de várias cotadas.
Bolsas dos EUA sobem e renovam máximos
Reuters
Sara Antunes 24 de outubro de 2017 às 21:14

As bolsas dos EUA voltaram a renovar máximos esta terça-feira, a beneficiarem dos resultados apresentados por várias cotadas. O Dow Jones subiu 0,72% para 23.441,76 pontos, o Nasdaq avançou 0,18% para 6.598,43 pontos e o S&P500 apreciou 0,16% para 2.569,13 pontos. 

"Tem sido encorajador ver" algumas destas cotadas do sector industrial "a apresentarem números sólidos e a aumentarem as suas previsões", afirmou Lindsey Bell, estratega da CFRA Research, citado pela Reuters.

 

Em causa estão cotadas como a 3M, a Caterpillar ou a General Motors.

 

No caso da fabricante de post-its os resultados ajustados foram de 2,33 dólares por acção, superando a estimativa mais elevada entre os analistas consultados pela Bloomberg. As receitas aumentaram 6% para 8,17 mil milhões de dólares. E além dos números do terceiro trimestre terem superado as previsões, a 3M reviu as suas previsões de resultados, para o acumulado do não. As novas estimativas apontam para que a empresa feche o ano com um lucro ajustado entre 9 e 9,10 dólares por acção, quando a previsão dos analistas apontava para um lucro médio de 8,97 dólares. As acções da 3M fecharam com uma subida de quase 6%.

 

Já a Caterpillar revelou que os lucros, excluindo custos de reestruturação, ascenderam a 1,95 dólares por acção, o que compara com os 85 cêntimos obtidos um ano antes. As receitas aumentaram para 11,41 mil milhões de dólares. E a fabricante de equipamentos de construção elevou as suas projecções para o final do ano, apontando para lucros ajustados de 6,25 dólares por acção, quando a previsão anterior era de 5,0 dólares. Os títulos da Caterpillar subiram 4,5%.

 

Já a General Motors reportou um prejuízo de 2,98 mil milhões de dólares, ou 2,03 dólares por acção, o que compara com um lucro de 2,77 mil milhões de dólares registado um ano antes. Os prejuízos estão relacionados com a venda da unidade Opel na Europa à PSA. Excluindo estes custos, a fabricante de automóveis lucrou 1,32 dólares por acção, o que superou as estimativas dos analistas consultados pela Reuters que apontavam para um lucro médio de 1,14 dólares. As acções terminaram o dia a ganhar quase 3%.

 

Mas nem todas as cotadas conseguira, superar as estimativas. A Whirlpool deslizou mais de 10% depois de ter reportados lucros e receitas que ficaram aquém do esperado pelos analistas. A empresa reviu também em baixa as suas previsões de resultados para o total do ano. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub