Bolsa Bolsas dos EUA sobem em dia de votação na Câmara dos Representantes

Bolsas dos EUA sobem em dia de votação na Câmara dos Representantes

A reforma fiscal vai ser votada na Câmara dos Representantes esta terça-feira, enquanto a votação no Senado poderá decorrer entre hoje à noite e amanhã de manhã.
Bolsas dos EUA sobem em dia de votação na Câmara dos Representantes
Jeff Christensen/Reuters
Rita Faria 19 de dezembro de 2017 às 14:39

Os principais índices norte-americanos estão a negociar em alta ligeira esta terça-feira, 19 de Dezembro, pela terceira sessão consecutiva, animados pela crescente expectativa de que o Congresso vai votar favoravelmente a reforma fiscal dos Estados Unidos.

 

Nesta altura, o índice industrial Dow Jones avança 0,15% para 24.828,95 pontos, enquanto o S&P500 ganha 0,13% para 2.693,67 pontos. Só o Nasdaq contraria com uma descida de 0,06% para 6.990,31 pontos, depois de ter superado os 7 mil pontos ontem, pela primeira vez.

A votação na Câmara dos Representantes está marcada para hoje à tarde, enquanto a do Senado deverá decorrer esta noite ou na quarta-feira, de manhã. Finalmente, a legislação deverá ser assinada pelo presidente Donald Trump antes do final da semana.

 

"Há uma forte convicção de que isso irá acontecer. Mas o mercado não vai tranquilizar completamente até que tudo termine", afirma Scott Brown, economista-chefe da Raymond James, citado pela Reuters.

 

A reforma fiscal vai cortar o imposto sobre as empresas de 35% para 21%, o que os analistas acreditam que irá impulsionar os lucros, desencadear recompras de acções e aumentar o pagamento de dividendos.

 

Outro dos resultados esperados é o repatriamento de dinheiro que, juntamente com um aumento modesto nas taxas de juros, prepara o terreno para um movimento muito forte de "fusões e aquisições", segundo Scott Brown. 

As acções da Apple descem 0,95% para 175,75 dólares, depois de a Instinet ter revisto em baixa a recomendação para "neutral" devido à expectativas de uma subida limitada das vendas do iPhone X no próximo trimestre.

 

Pelo contrário, a Wal-Mart valoriza 1,45% para 99,32 dólares, a beneficiar ad melhoria da recomendação do Citi para "comprar".  

 




Saber mais e Alertas
pub