Bolsa Bolsas japonesas aliviam de máximos e bitcoin recupera de forte queda

Bolsas japonesas aliviam de máximos e bitcoin recupera de forte queda

O dia será marcado pela ausência de muitos investidores, já que as bolsas estão fechadas em muitos países. Mas na Ásia a negociação decorreu com normalidade. As bolsas japonesas desceram e aliviaram de máximos dos anos 90.
Bolsas japonesas aliviam de máximos e bitcoin recupera de forte queda
Bloomberg
Sara Antunes 26 de dezembro de 2017 às 09:05
As bolsas europeias estarão encerradas esta terça-feira, 26 de Dezembro, devido às comemorações do Natal. Mas na Ásia e nos EUA a negociação retoma, com as bolsas asiáticas a terem comportamentos distintos.

O principal índice bolsista japonês, o Topix, tem negociado próximo de máximos de Novembro de 1991, tendo recuado esta terça-feira 0,27% para 1.827,01 pontos. Comportamento idêntico teve o Nikkei, com o índice a recuar 0,20% para 22.892,69 pontos. 

Já o índice bolsista chinês subiu 0,8% enquanto o Kospi, da Coreia do Sul, recuou 0,5%, numa sessão sem uma tendência definida entre os principais mercados. 

Nos EUA, os futuros dos índices estão estáveis, o que sugere um arranque de sessão com oscilações pouco acentuadas.

No mercado cambial, o euro segue estável a negociar nos 1,1869 dólares, enquanto a bitcoin está a subir pela primeira vez em seis sessões. Esta terça-feira a criptomoeda mais conhecida está a ganhar 9,34% e a negociar um pouco acima dos 15 mil dólares por unidade. Já nas últimas cinco sessões a bitcoin afundou 26%, depois de ter chegado a negociar acima dos 19 mil dólares.

Destaque ainda para o petróleo que está a negociar em queda ligeira. O barril do Brent, negociado em Londres e referência para Portugal está a recuar 0,18% para 65,13 dólares.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
Saber mais e Alertas
pub