Mercados Bolsas norte-americanas recuperam com optimismo de Monti sobre eurobonds

Bolsas norte-americanas recuperam com optimismo de Monti sobre eurobonds

Índices recuperaram das perdas em Wall Street, depois do primeiro-ministro italiano ter afirmado que a Europa pode ter eurobonds em breve.
Nuno Carregueiro 24 de maio de 2012 às 21:38
As bolsas norte-americanas fecharam mistas, a recuperar das quedas registadas a meio da sessão, beneficiando com as declarações de Mário Monti sobre a cimeira europeia da última noite.

O Nasdaq foi o único índice em terreno negativo, a perder 0,38% para 2.839,38 pontos. O Dow Jones subiu 0,27% para 12.529,75 pontos e o S&P500 avançou 0,15% para 1.320,68 pontos.

A recuperação face aos mínimos da sessão foi registada no final da sessão, em reacção à entrevista do primeiro-ministro italiano ao canal de televisão La7. Mario Monti revelou que a maioria dos líderes europeus, reunidos na cimeira europeia informal de ontem, revelou-se a favor da emissão conjunta de obrigações. “A europa pode ter Eurobonds em breve”, disse o primeiro-ministro italiano.

Monti afirmou ainda que a Itália pode ajudar a convencer a Alemanha sobre esta matéria, à qual Ângela Merkel se tem oposto, apesar da pressão de Hollande. O primeiro-ministro italiano mostrou-se ainda confiante com a permanência da Grécia no euro.

A pressionar os mercados esteve uma sondagem que dá uma vantagem mais forte ao Syrisa nas intenções de voto para as eleições de 17 de Junho. Os investidores temem que uma vitória do partido liderado por Tsipras aumente a probabilidade de saída do país do euro, já que o Syrisa está contra a implementação do programa de austeridade associado ao segundo resgate.

A Hewlett Packard liderou os ganhos no Dow Jones, com uma subida de 3,27% para 21,77 dólares. A empresa revelou que as vendas e os lucros trimestrais superaram as estimativas do mercado e anunciou que vai cortar 27 mil postos de trabalho, cerca de 8% da força de trabalho da HP, que irão permitir uma redução de custos de 3,5 mil milhões de dólares a partir de 2014.

Seguiu-se a Home Depot, Coca-Cola e Chevron, todas a ganhar mais de 1%. No lado oposto esteve outra tecnológica, com a Cisco Systems a cair 1,8% para 16,39 dólares, numa sessão que foi também negativa para o sector da banca. O JPMorgan Chase caiu 0,85% e o Bank of America cedeu 0,42%.

Já o Facebook conseguiu hoje uma nova sessão de recuperação, com as acções da rede social a subirem 3,22% para 33,03 dólares.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Vidente Há 4 semanas

Foram acertados entre todos na última cimeira, e serão apresentados já em Junho.Os bancos serão aqueles que sofrerão maior valorização, tendo também em conta que existe uma vontade de uniformização de depósitos europeus, isto é, se um país como a Grécia forçar a sua saída e existir uma corrida aos bancos Gregos para realizarem depósitos na Alemanha, os mesmos servirão de garantia depositaria Grega, para solvabilidade bancária.

ZE EUROPEU Há 4 semanas

OS EUROBONDS SO TEEM POTENCIA SE ENTRAR A ALEMANHA...E NAO E CERTO QUE A ALEMANHA QUEIRA ENTRAR PARA JA...TALVES COM MAIOR INTEGRAÇAO ECONOMICA E POLITICA,,, E OS PAISES A COMPROMETEREM SE EM NAO SE ENDIVIDAREM ...OS EUROBONDS SAO INTERESSANTES PARA A EUROPA DO SUL..A EUROPA DO NORTE ESTA BEM..E PARA ELES NAO E INTERESSANTE...VAMOS VER COMO DIZ O CEGO...

pub