Bolsa Bolsas regressam da Páscoa com ganhos ligeiros

Bolsas regressam da Páscoa com ganhos ligeiros

A praça portuguesa abriu a sessão com curta vantagem em relação ao fecho de quinta-feira passada, o último dia em que as bolsas negociaram. Ambiente geopolítico continua a condicionar.
A carregar o vídeo ...
Paulo Zacarias Gomes 18 de abril de 2017 às 08:10

Os mercados accionistas europeus regressaram às negociações esta terça-feira, 18 de Abril, em terreno de ganhos ligeiro depois de duas sessões sem negociar devido às festividades da Páscoa.

A praça lisboeta acompanha a tendência, com o PSI-20 a somar 0,16% para 4.970,57 pontos, com nove títulos em terreno positivo, sete em queda e três inalterados.


A Galp, que esta manhã apresentou dados preliminares do trimestre, segue a valorizar 0,31% para 14,62 euros. A energética liderada por Carlos Gomes da Silva viu as áreas da exploração e produção e das vendas de energia a ganharem terreno, enquanto a da refinação e distribuição registou um comportamento menos positivo.

A EDP Renováveis, que a partir de agora tem oito dias para avaliar a OPA lançada pela EDP – depois de a eléctrica ter esta segunda-feira entregado o pedido de registo da oferta na Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), segue a recuar 0,14% para 6,95 euros, 20 cêntimos acima dos 6,75 euros colocados na oferta pública de aquisição. A EDP avança 0,03% para 3,16 euros.

No dia em que a imprensa polaca dá conta de ameaças dos sindicatos de avançarem para uma greve na Biedronka em protesto por salários mais altos, a dona da empresa, a Jerónimo Martins, recua 0,24% para 16,68 euros.

O sector financeiro segue misto, com o BCP a ganhar 0,56% para 0,1789 euros depois de o Norges Bank ter voltado a reforçar a posição no banco, e os títulos do fundo de participação do Montepio a recuarem 0,24% para 0,408 euros. Fora do índice, o BPI cai 1,78% para 1,05 euros.

Esta terça-feira, o Negócios avança que os bancos já ganharam 1.570 milhões de euros só no ano passado em impostos com o impacto das imparidades e o uso de créditos fiscais antigos. A CGD foi a que mais beneficiou.


Os CTT, que se vêem obrigados a reforçar os dados sobre os marcos do correio de acordo com as novas regras da Anacom, estão entre os títulos ainda inalterados, nos 5,116 euros. Ainda nas comunicações, a Nos ganha 0,64% para 5,183 euros.

No resto das praças europeias os ganhos são igualmente ligeiros, com o apetite dos investidores a ser condicionado pela situação na Coreia do Norte, o pós-referendo na Turquia e a incerteza com a aproximação da primeira volta das eleições francesas, no próximo domingo. 

Da madrugada vem a sessão mista nas praças asiáticas, depois de o vice-presidente norte-americano Mike Pence ter anunciado a revisão do acordo comercial com a Coreia do Sul, alegadamente por Seul impor demasiadas barreiras à relação com os EUA, numa região marcada nos últimos dias por fortes tensões com trocas de ameaças entre EUA e Coreia do Norte.

Ao longo do dia os investidores aguardam pela divulgação de dados económicos, com o Fundo Monetário Internacional (FMI) a divulgar o seu "outlook" para a economia global. No campo dos resultados, mais dois gigantes da banca mostram números em Nova Iorque: o Goldman Sachs e o Bank of America.

(Notícia actualizada às 8:22 com mais informação)


A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Criador de Touros 18.04.2017

Muitos seguem o maior fundo soberano do mundo, o norueguês, gerido pelo Norges Bank, que acaba de reforçar no BCP, pelo que a abertura dos mercados americanos poderá dar compras BCP.

Criador de Touros 18.04.2017

A extrema-direita em França perde gás nas últimas sondagens, acentuando a tendência das últimas semanas. Também não me parece que a extrema-esquerda vá ganhar, pelo que as posições mais do centro serão as vencedoras. A França ganha muito com a UE e não se pode dar ao luxo de votar desastradamente.Do ponto de vista económico os franceses terão de votar ao centro. Tudo aponta para este desfecho, com todos a derrotar Le Pen e a extrema-esquerda não ganhará. A ver se tenho razão.

Criador de Touros 18.04.2017

Pelo que se vê no gráfico do BCP hoje, há quem esteja a aproveitar estes preços para mais tarde capitalizar bem. O BCP é a cotada que mais promete e quem tem cacau aproveita.

Criador de Touros 18.04.2017

O BCP mostra força e eu gosto !!

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub