Bolsa Bolsas dos EUA pouco alteradas no dia do último debate presidencial

Bolsas dos EUA pouco alteradas no dia do último debate presidencial

As bolsas dos Estados Unidos dividem-se entre ganhos e perdas pouco acentuadas, antes do último debate presidencial e da divulgação do Livro Bege da Reserva Federal.
Bolsas dos EUA pouco alteradas no dia do último debate presidencial
Reuters
Rita Faria 19 de Outubro de 2016 às 14:39

Os principais índices norte-americanos abriram pouco alterados esta quarta-feira, 19 de Outubro, dia em que os investidores continuam a olhar para os resultados das empresas relativos ao terceiro trimestre, e à espera do último debate presidencial antes das eleições de 8 de Novembro.

O índice industrial Dow Jones sobe 0,17% para 18.192,07 pontos, enquanto o tecnológico Nasdaq cai 0,09% para 5.239,27 pontos. Já o S&P500 ganha 0,1% para 2.141,60 pontos. 

Esta quarta-feira, realiza-se o último debate entre Hillary Clinton e Donald Trump, num momento em que o favoritismo é da candidata democrata.

Uma sondagem realizada para a Bloomberg mostra que Hillary alargou mesmo a vantagem em relação ao seu adversário, que tem sido alvo de muitas acusações de assédio sexual.


A pergunta colocada foi: "se as eleições fossem hoje e os candidatos fossem Clinton pelos Democratas, Trump pelos Republicanos, Johnson pelos Libertarians e Stein pelo Green Prty, em quem é que votaria?". E 47% dos inquiridos respondeu em Hillary Clinton e 38% em Donald Trump. A sondagem realizada para a agência a possíveis eleitores indica assim que Hillary Clinton está 9 pontos percentuais à frente de Trump.

Antes do debate ainda será conhecido o Livro Bege da Reserva Federal com um conjunto de dados sobre a saúde da economia norte-americana, numa altura em que persistem as dúvidas sobre se a Fed subirá os juros até ao final do ano.

Entretanto, os resultados das empresas continuam a ser seguidos de perto pelos investidores. Antes da abertura do mercado, o Morgan Stanley anunciou que os lucros do terceiro trimestre subiram para 1,6 mil milhões de dólares (1,46 mil milhões de euros), acima dos 1,02 mil milhões registados no mesmo período do ano passado.

Entre Julho e Setembro, as receitas subiram 15% para os 8,91 mil milhões de dólares, comparando com os 7,77 mil milhões em termos homólogos.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 2 semanas


Os ladrões de esquerda


PS DEIXA MORRER UTENTES DO SNS... PARA DAR MAIS DINHEIRO AOS FP:

- PS aumenta despesa com salários da FP em 500 milhões de Euros;

- PS reduz horário da FP para 35 horas;

- PS corta orçamento dos Hospitais Públicos.

pub
pub
pub
pub