Bolsa Bolsas dos EUA sobem e recuperam das quedas recentes

Bolsas dos EUA sobem e recuperam das quedas recentes

Os receios em torno da Fed e de uma subida de juros em breve tem pressionado a negociação bolsista do outro lado do Atlântico. Esta quarta-feira as bolsas dos EUA iniciaram a sessão com ganhos, a recuperar das perdas recentes.
Bolsas dos EUA sobem e recuperam das quedas recentes
Reuters
O Dow Jones está a subir 0,30% para 18.222,82 pontos e o Nasdaq aprecia os mesmos 0,30% para 5.305,770 pontos. Já o S&P500 sobe 0,32% para 2157,52 pontos.

As bolsas dos EUA estão assim a recuperar parte das quedas registadas nas últimas sessões, marcadas por discursos de responsáveis da Reserva Federal (Fed) que sugerem que a autoridade estará próxima de aumentar os juros no país.

Os investidores estão de olhos postos nos resultados económicos dos EUA e também nos discursos dos membros da Fed para tentarem perceber quando é que o banco central voltará a aumentar os juros de referência, actualmente entre 0,25% e 0,50%.

 

O mercado quer perceber se a economia dos EUA estará suficientemente sólida para aguentar um aumento das taxas de juro ainda em 2016, estando expectante em relação aos dados sobre o emprego que serão divulgados na sexta-feira.

 

Jeffrey Lacker, presidente da Reserva Federal de Richmond, falou esta terça-feira sobre as perspectivas económicas para os Estados Unidos, defendendo uma subida dos juros, a par com Loretta Mester, da Fed de Cleveland, que discursou no mesmo sentido. Lacker falará de novo amanhã, bem como o presidente da Fed de Chicago, Charles Evans.

 

Na sexta-feira será a vez de Stanley Fischer, vice-presidente do banco central. No passado dia 21 de Setembro, a Reserva Federal decidiu não mexer nos juros, apontando para o final do ano a probabilidade de isso poder acontecer – o que, a concretizar-se, será o único aumento em 2016. As bolsas, sobretudo em Wall Street, têm reagido a qualquer nova possibilidade de mexida – ou não – nos juros ainda este ano.

 

Em destaque para as acções do Twitter, que sobem 2,87% para 24,195 dólares, numa altura em que se aguarda que a empresa receba propostas de compra. As últimas notícias dão conta do interessa da Disney, da Google e da Salesforce na compra da rede social das micromensagens.

 

Destaque ainda para as cotadas do sector petrolífero, numa altura em que os preços do petróleo estão a subir mais de 2% no mercado norte-americano. O barril do West Texas Intermediate (WTI) está nos 49,68 dólares, depois de os dados do Instituto do Petróleo Americano terem apontado para uma descida dos inventários e de o ministro do Petróleo da Venezuela ter avançado a possibilidade de um acordo entre a OPEP e outros grandes produtores, que levaria a um corte da produção de 1,2 milhões de barris por dia.

A Exxon Mobil está a apreciar 0,92% 87,04 dólares e a Chevron ganha 0,78% para 102,06 dólares.


(Notícia actualizada com mais informação)



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub