Bolsa BPI afunda para mínimos de Setembro com fim da OPA

BPI afunda para mínimos de Setembro com fim da OPA

As acções do banco liderado por Fernando Ulrich encerraram a sessão desta quarta-feira em mínimos de Setembro de 2016. O BPI comunica hoje os resultados da OPA ao mercado.
BPI afunda para mínimos de Setembro com fim da OPA
Ana Laranjeiro 08 de fevereiro de 2017 às 16:59

A sessão desta quarta-feira, 8 de Fevereiro, foi negativa para o BPI. No dia em que são apresentados os resultados da OPA do CaixaBank, as acções do banco liderado por Fernando Ulrich terminaram o dia a cair 6,58% para 1,05 euro. Durante a sessão, chegaram a afundar 7,38% para 1,041 euros, o que corresponde ao valor mais baixo desde 16 de Setembro do ano passado.

O CaixaBank oferecia na OPA de 1,134 euros por acção e dada a cotação de fecho, sendo que as acções fecharam em torno de 8% abaixo do valor oferecido pelos catalães na operação.


A liquidez foi alta. Trocaram de mãos mais de 668 mil acções quando a média diária dos últimos seis meses é de mais de 629 mil títulos. Com base na cotação de fecho o BPI tem uma capitalização bolsista de 1.538.5 milhões de euros. E desde o início do ano o banco já perdeu 6,63%.


O Negócios avança esta quarta-feira, na sequência da OPA, que o CaixaBank ficou próximo do controlo total do BPI. Já depois do fecho da sessão, a Euronext anunciu que o CaixaBank ficou com 84,5% do BPI na oferta pública de aquisição. Ficam nas mãos de outros accionistas 15,49% do capital. 

Com a saída da empresária angolana Isabel dos Santos – que vendeu a posição de 18,6% no BPI por 306,9 milhões de euros – dos Violas Ferreira e do Banco BIC, já se sabia que o CaixaBank teria assegurado pelo menos mais de 75% do capital da instituição. 


O presidente do CaixaBank, Gonzalo Gortázar, vai estar na capital portuguesa para celebrar o sucesso da OPA, e apresentará os resultados juntamente com Fernando Ulrich, numa conferência de imprensa conjunta.


Depois de o CaixaBank ter garantido, no anúncio de lançamento da OPA, que iria manter o BPI cotado na Euronext Lisbon, os especialistas advertem que os investidores que não venderam as suas acções na operação podem ficar presos a títulos sem qualquer liquidez. 







A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub