Research BPI: Aprovação da compra da TVI pode demorar até 9 meses

BPI: Aprovação da compra da TVI pode demorar até 9 meses

Os analistas do BPI acreditam que a operação será aprovada, mas com "remédios", num processo que poderá prolongar-se por seis a nove meses.
BPI: Aprovação da compra da TVI pode demorar até 9 meses
Reuters
Rita Faria 20 de setembro de 2017 às 10:06

A compra da Media Capital pela Altice deverá ser aprovada com remédios – e não nos moldes actuais – num processo que deverá demorar entre 6 e 9 meses.

A conclusão é do BPI, que apresenta a sua visão sobre o negócio numa nota de análise divulgada esta quarta-feira, 20 de Setembro, um dia depois de a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) ter dado um parecer desfavorável à operação, por poder colocar "entraves significativos à concorrência efectiva nos mercados de comunicações electrónicas".

Os analistas salientam que a opinião da Anacom é uma "recomendação" e não uma decisão vinculativa, e antecipam que a operação deverá acabar por ser aprovada, depois de aplicados "remédios", ou seja, alterações nos termos do negócio. Todo este processo deverá demorar, na opinião do BPI, "entre 6 e 9 meses".  

Também o CaixaBI salienta, numa nota de análise, que o parecer da Anacom não é vinculativo, podendo, porém, "influenciar os outros reguladores".

"Não deixa de se tratar de uma primeira apreciação da operação por parte de um regulador e que poderá influenciar os outros reguladores", resumem os analistas.

 

O Haitong, por outro lado, considerou ontem que o cartão vermelho exibido pela Anacom reduz mesmo as possibilidades de o negócio seguir em frente. "Este parecer desfavorável, na nossa perspectiva, reduz a probabilidade de uma aprovação", apontou o analista Nuno Matias.

 

O banco de investimento acredita que, mesmo que a operação de concentração seja aprovada, será sujeita a "constrangimentos regulatórios severos, nomeadamente nos termos das condições de acesso aos canais e conteúdos produzidos pela Media Capital, por parte dos outros operadores".

Depois da Anacom, os olhos estão agora postos na Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) que tem até ao dia 10 do próximo mês para emitir o seu parecer, que é vinculativo, sobre esta operação. Se esta entidade der luz verde, o processo continuará na Autoridade da Concorrência. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub