Research BPI corta avaliação dos CTT em quase 10%

BPI corta avaliação dos CTT em quase 10%

As novas metas traçadas pela Anacom já tinham levado o BPI a admitir cortar a avaliação dos CTT. Algo que acabou por se confirmar. A casa de investimento continua a recomendar aos accionistas a compra das acções.
BPI corta avaliação dos CTT em quase 10%
Sara Antunes 16 de janeiro de 2018 às 09:25

O BPI reviu a sua avaliação dos CTT de 4,70 euros para 4,25 euros, de acordo com uma nota a que o Negócios teve acesso. São menos 0,45 euros por acção, ou seja, um corte de 9,57%. Ainda assim a casa de investimento continua a ter uma recomendação de "comprar" para as acções dos CTT, algo que poderá ser justificado com o potencial de subida que as acções apresentam face ao preço-alvo estabelecido pelo BPI.

 

Apesar do corte realizado, a avaliação que o BPI faz dos CTT confere à cotada liderada por Francisco Lacerda um potencial de valorização superior a 19% face a actual cotação (3,564 euros).

 

Já na semana passada, o BPI admitia reduzir o preço-alvo dos CTT em 0,35 euros. A revisão acabou por determinar uma redução maior (0,45 euros), com os analistas do BPI a realçarem que também reduziram a estimativa de dividendos para 0,25 euros por acção para 2019, o que compara com os 0,38 euros anunciados para este ano.

 

O BPI destaca ainda que "a combinação de uma posição em Portugal invejável, a situação líquida e o momento da acção pode ser um catalisador para uma fusão ou aquisição".

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião11
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Re: Cifrão Há 6 dias

O que recordo da bibliografia académica é que de facto a generalidade dos Analistas faz previsões apenas baseadas em critérios simples (ROE/PER; PER; PBV);
A minha experiência concreta aponta também para a confirmação do que dizes:
normalmente os Analistas deixam-se guiar pelo Mercado.
Em relação aos Analistas do BPI, ainda não há muito tempo tinha-os na conta dos melhores , (se não os melhores) em Portugal.
Mas francamente, hoje não sei.

PS: Já aqui referi os tristes resultados que obtive com um ensaio de estratégias baseadas em "Walk-forward testing" sobre o mercado Americano e Canadiano no período 1999-2017.
Continuo a respeitar muito o trabalho dos Analistas mas... perdi completamente a esperança de utilizar as suas previsões como inputs para estratégias de investimento !

comentários mais recentes
Anónimo Há 5 dias

No mandato presidencial do Presidente Barack Obama, o U.S. Postal Service despediu muitos milhares de colaboradores excedentários e regressou aos há muito esquecidos lucros trimestrais. Economias de mercado ricas e desenvolvidas, capazes de criar valor consistentemente, não se deixam capturar por perniciosos interesses sindicais porque as reais oferta e procura de mercado não são opcionais. "USPS Records First Profit in Five Years as Obama Calls for Shedding 12K Postal Jobs" www.govexec.com/management/2016/02/usps-records-first-profit-five-years-obama-calls-shedding-12k-postal-jobs/125825/

Anónimo Há 5 dias

A empresa Finlandesa de serviços postais Posti, empresa pública daquela jurisdição escandinava que é uma economia rica e avançada com elevado índice de desenvolvimento humano e dotada de uma cultura cívica e democrática do mais alto calibre, despediu entre 2015 e 2016 7600 colaboradores permanentes tidos como excedentários à luz das reais forças de mercado ditadas pelos gostos, hábitos, necessidades, expectativas e preferências dos clientes e a concorrência movida pelos competidores domésticos e globais, a que o progresso tecnológico nunca é alheio. "Digitalization has already reduced overall delivery volumes to the level of the 1960s. Therefore, we must adapt and reform our operations in order to ensure that Posti will still maintain its financial capability to build new business in order to compensate for mail delivery." https://www.apex-insight.com/posti-sees-job-cuts-in-the-offing/

Anónimo Há 5 dias

A empresa pública de correios sueco-dinamarquesa Postnord decidiu em Março de 2017 despedir 4 mil excedentários cujo posto de trabalho já não se justificava naquela organização do sector público escandinavo. Naquela região nórdica os direitos sindicais adquiridos não se sobrepõem aos dos contribuintes e cidadãos em geral. É 1º Mundo onde não reinam a iniquidade e a insustentabilidade. Despedem excedentários, extinguem postos de trabalho que já não se justificam, adoptam as melhores práticas e tecnologias. A economia é robusta, cria valor e enriquece, a sociedade é justa, equilibrada e feliz. "Postnord to cut up to 4,000 jobs in Denmark" www.reuters.com/article/postnord-jobs-idUSL5N1GL4QG

Anónimo Há 5 dias

Somente em Portugal não há excedentários. Palmas para o ilusionista. "Excedentários que rescindiram com o Estado recebem 24,3 mil euros" https://www.dn.pt/dinheiro/interior/excedentarios-que-rescindiram-com-o-estado-recebem-243-mil-euros-9053235.html

ver mais comentários