Research BPI troca EDP pela Sonae na sua lista de acções preferidas

BPI troca EDP pela Sonae na sua lista de acções preferidas

O banco de investimento considera que a exposição da retalhista à economia portuguesa deverá impulsionar os resultados e avaliação da empresa, cujo preço-alvo foi melhorado para 1,30 euros.
BPI troca EDP pela Sonae na sua lista de acções preferidas
Paulo Duarte
Rita Faria 14 de junho de 2017 às 11:15

Sai a EDP. Entra a Sonae. A lista das acções preferidas do BPI na Península Ibérica foi actualizada esta quarta-feira, 14 de Junho, para dar entrada à retalhista dona dos supermercados Continente e dizer adeus à eléctrica liderada por António Mexia, a única cotada portuguesa que constava deste rol.

No relatório, o banco de investimento justifica a "promoção" da Sonae, com a sua exposição à economia portuguesa, cujos dados mais recentes levam o BPI a reforçar a sua visão positiva para a cotada. O preço-alvo da retalhista é revisto em alta de 1,25 euros para 1,30 euros, e a recomendação mantém-se em "comprar". Tendo em conta a cotação actual (96,8 cêntimos) esta avaliação traduz um potencial de valorização de 34,2%.

"Os recentes dados sobre a economia portuguesa levaram-nos a reforçar a nossa posição positiva em relação a nomes domésticos como a Sonae. A empresa está fortemente exposta ao país (mais de 90% das vendas) e as actuais tendências positivas das actividades de consumo, imobiliário e turismo devem impulsionar continuamente os resultados e a avaliação da empresa", sublinham os analistas.

O BPI destaca ainda que o memorando de entendimento que a Sonae assinou para a fusão da sua unidade de desporto com os activos da JD Sports na Península Ibérica deverá ter um impacto de 8% nos lucros, ao mesmo tempo que as perspectivas para o retalho alimentar continuam a melhorar.

De saída da "core list" está, por outro lado, a EDP, cujo preço-alvo é, ainda assim, melhorado de 3,55 euros para 3,70 euros, para traduzir o alargamento do horizonte da avaliação para 2018. À cotação actual (3,231 euros) o potencial de valorização ascende a 14,5%. A recomendação é reduzida de "comprar" para "neutral".

O BPI sinaliza que a eléctrica ainda negoceia a "múltiplos atractivos", tem um dividendo atractivo e menor risco operacional do que o sector. No entanto, as margens "esticadas" na Península Ibérica e a renovada percepção de risco regulatório poderão "pesar sobre a EDP no curto prazo".

Apesar disso, o BPI saúda a recente decisão da EDP de realocar capital de unidades caras e com fraco crescimento para a EDP Renováveis, "relativamente barata" e com grande crescimento. Recorde-se que a empresa acordou a venda da sua unidade de distribuição de gás à REN e a venda da Naturgas em Espanha para financiar a compra da participação que ainda não detém na EDP Renováveis e para reduzir a dívida.

A EDP entrou na lista de favoritas do BPI em Março, precisamente em substituição da EDP Renováveis para reflectir a oferta pública de aquisição (OPA) lançada naquele mês.

As acções da Sonae valorizam 1,15% para 96,8 cêntimos enquanto a EDP ganha 0,37% para 3,231 euros.

Entre as cotadas espanholas, o BPI decidiu retirar da lista de favoritas o DIA e promover a Ebro Foods. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Esguicho 14.06.2017

Muito bem ! Como todos perceberam, na perspectiva do Sr. Alerta Máximo, a Sonae não é dona da Sonae, pois o dono da Sonae é, isso sim, a Sonae !!! Claro como água ! Ora , ora, meu amigo , as empresas do grupo funcionam em regime de participações cruzadas e até os negócios são em parte alavancados !

ENRAB..esguicho 14.06.2017

Esperam-se bons resultados por isso mesmo há que valorizar aquilo que está a ter um bom desempenho.

A ESTRANGEIRADA JÁ NÃO LARGAM O BCP 14.06.2017

OS PORTUGUESES AINDA ESTÃO A DORMIR PREFEREM PHAROL E CORTIÇA MAS A ESTRANGEIRADA JÁ NÃO LARGAM O MILENIUM BCP É A MINA DE OURO NENHUMA AÇÃO NO MUNDO IRÁ SUBIR TANTO COMO O MILENIUM BCP CONTINUEM A DORMIR DEIXEM OS ESTRANGEIROS ENCHEREM os BOLSOS

MALINJEJA 14.06.2017

Quando toca valorizar SONAES estes oportunistas saem da toca para dizerem disparates! Abram os olhos e vejam o obvio mas, dói um bocado seus trafulhas não é verdade? Mas têm que aguentar, pois esta empresa está com uma forte pujança, aguenta aí animal !

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub