Mercados Bradesco nega negociações para compra do Santander no Brasil

Bradesco nega negociações para compra do Santander no Brasil

Banco brasileiro nega notícia publicada ontem no jornal "O Globo", segundo a qual o maior banco espanhol vai desfazer-se de parte das suas operações no Brasil para tentar recapitalizar-se sem recorrer a ajudas públicas.
Eva Gaspar 28 de maio de 2012 às 10:21
O Bradesco nega que esteja em negociações para comprar as operações do Santander no Brasil, desmentindo assim a notícia avançada ontem pelo jornal brasileiro "O Globo" que dava conta de rumores que circulam nos mercados e de contactos que envolveriam já a presidente Dilma Rousseff, que estaria preocupada com a possibilidade de uma excessiva concentração no sector, com o Bradesco a assumir uma posição dominante.

Se o negócio se realizasse, o Bradesco subiria da terceira para a primeira posição no ranking dos maiores bancos de retalho do Brasil em activos, ultrapassando de uma só vez o Itaú Unibanco e o Banco do Brasil, avançava "O Globo".

Num comunicado divulgado ainda ontem, o Bradesco "nega enfaticamente" a notícia veiculada no jornal, segundo o qual Santander e Bradesco estão em negociações há já oito meses, tendo o processo sido intensificado nos dois últimos meses, à medida que se agravou a crise financeira em Espanha e o Governo de Madrid reforçou as exigências de capital.

O jornal lembrava que o Santander, presidido por Emílio Botín (na foto), já se desfez de operações no Chile e na Colômbia e que "a primeira informação que circulou no mercado dava conta do interesse do Santander de abrir mão de uma fatia entre 30% e 40% do seu capital no Brasil". Os controladores do Santander, acrescentava o jornal, dizem não ter a intenção de deixar completamente suas operações no Brasil, que hoje responde por mais de 30% do resultado global do grupo.

"O Globo" escrevia ainda que também o Banco do Brasil esteve entre os interessados a ficar dono de parte da rede do Santander, mas as negociações teriam sido abortadas numa fase prematura por desacordo quanto ao preço.

A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 28.05.2012

Para mim que vivi no Brasil muitos anos e trabalhei no setor Bancario (Bancos de Investimentos e Sociedades Corretoras de Valores), foi uma surpresa saber que o Bradesco nao e mais o maior Banco privado Brasileiro, como foi sempre !!! O Itau era o eterno Segundo... O Banco do Brasil, sendo Estatal, nao entrava nessas contas. Alias havia uma slogan que perguntava > SE VOCE QUER SABER QUAL E O MAIOR BANCO DO BRASIL VOCE JA FALOU O NOME DELE ! O BRADESCO, ha 7 ou 8 anos, comprou as operacoes brasileiras do Banco Espanhol BBVA (Banco Bilbao Viscaya Argentaria), o 2' da Espanha, da mesma maneira que o Santander e o 1' da Espanha e o 5' da Europa.O Bradesco tem a mania de comprar outros Bancos !!! Foram eles que compraram 2 dos Bancos onde eu fui Gerente> Banco Crefisul, comprado pelo CitiBank e depois pelo Bradesco e Banco Finasa de Investimentos, um dos maiores de Sao Paulo.Nao me admira que agora queiram o Santander...

pub