Research Caixa BI vê lucros dos CTT a cair 7,8% no trimestre, com correio a pressionar

Caixa BI vê lucros dos CTT a cair 7,8% no trimestre, com correio a pressionar

Só a unidade de negócios de serviços financeiros deverá ter registado uma melhoria do EBITDA em termos anuais, estima o banco de investimento da CGD, que refere que os resultados esperados evidenciam "uma empresa de correio com decréscimo de actividade."
Caixa BI vê lucros dos CTT a cair 7,8% no trimestre, com correio a pressionar
Miguel Baltazar/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 25 de julho de 2017 às 09:48

Os CTT deverão fechar o segundo trimestre com lucros de 10,3 milhões de euros, uma queda de 7,8% em relação ao mesmo período de 2016 e uma descida de 0,7% face ao primeiro trimestre. A estimativa consta de uma nota de análise do Caixa BI, que vê a actividade da empresa a ser pressionada pelo negócio de correio.

As receitas da companhia liderada por Francisco Lacerda são vistas a subir 0,3% em termos homólogos, para 172 milhões de euros, com a descida das receitas do segmento de correio a penalizar – 130,9 milhões de euros entre Abril e Junho, uma queda de 1,6% em termos anuais e de 4,4% em termos mensais, lê-se na nota assinada por Artur Amaro.

Em contrapartida, o banco de investimento da CGD espera que as receitas de expresso e encomendas tenham subido 2,6% em termos anuais para 30,6 milhões de euros e um maior contributo do Banco CTT para as receitas consolidadas – 1,7 milhões contra 100 mil euros um ano antes.

Ainda assim, a unidade financeira dos correios deverá continuar a apresentar uma performance negativa ao nível do EBITDA (ganhos antes de juros, impostos, depreciações e amortizações), nos 6,7 milhões de euros negativos, uma melhoria relativamente aos 7,3 milhões no vermelho de há um ano.

A "resiliente" procura por Certificados do Tesouro deverá ter permitido que as receitas de serviços Financeiros tenham crescido 11,3% face ao mesmo período de 2016, com esta unidade a ver o EBITDA melhorado em 19,8% em termos anuais, para 9,1 milhões de euros. As unidades de negócio de correio e encomendas e expresso deverão ter registado uma descida do cash-flow operacional.

"Assim, estimamos que o EBITDA consolidado seja de EUR 22.7m (-0.9% YoY e -12.5% QoQ), prejudicado pelo pior pricing mix no Correio, em particular do correio registado e pelos custos de estrutura do Banco CTT, num contexto de receitas ainda reduzidas dessa unidade de negócio", acrescenta a nota.

"De uma maneira geral os resultados do 2T17 deverão estar bastante em linha com o trimestre anterior, evidenciando uma empresa de correio com decréscimo de actividade, num contexto também difícil quer para a recuperação da operação de Expresso quer para a consolidação do Banco CTT. Deste modo o segmento de FS [serviços financeiros] deverá ser a única nota positiva no 2T17," conclui a análise.

Em linha com as previsões do Caixa BI, também o BPI espera lucros dos CTT na casa dos 10 milhões de euros entre Abril e Junho. No Iberian Daily desta terça-feira, o BPI Equity Research vê as receitas a estabilizarem em 171,1 milhões de euros - com o Banco CTT a contribuir com 2,2 milhões de euros - e o EBITDA da empresa a cair 3% em termos anuais para 22,4 milhões de euros. 

Os CTT mostram contas a 31 de Julho, depois do fecho do mercado. Os títulos da empresa recuam 0,09% para 5,45 euros.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

(Notícia actualizada às 9:59 com nota do BPI)




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
BANCO CTT, um mau negocio 25.07.2017

SEMPRE DISSE, DESDE QUE DE SE METERAM NO BANCO CTT , NUNCA MAIS LEVANTAM CABECA, AS ACOES , COM AS CORRECOES DE VERAO VAO CHEGAR AOS 4.2O EUROS,

Saber mais e Alertas
pub