Research CaixaBI antecipa quebra de 35,6% nos lucros da Galp

CaixaBI antecipa quebra de 35,6% nos lucros da Galp

Segundo o CaixaBI, o negócio de refinação e distribuição não conseguiu beneficiar do aumento das margens de refinação, tal como o negócio de gás não captou os "efeitos positivos" da subida dos preços.
CaixaBI antecipa quebra de 35,6% nos lucros da Galp
Pedro Esteves
Rita Faria 13 de fevereiro de 2017 às 19:09

Os analistas do CaixaBI antecipam que a Galp Energia tenha fechado o ano de 2016 com lucros de 471 milhões de euros, o que representa uma descida de 35,6% face aos 639 milhões de euros de 2015.

 

Considerando apenas os últimos três meses de 2016, o CaixaBI acredita que o resultado líquido da petrolífera portuguesa tenha descido 26,9%, em termos homólogos, para 109 milhões de euros, apesar da subida de 27,1% do EBITDA.

 

Na nota de análise, os analistas da unidade de investimento da Caixa Geral de Depósitos destacam que o crescimento das margens de refinação de referência para o sector deverá ser anulado pela performance mais fraca da distribuição.

 

E, apesar do crescimento das vendas de gás natural e dos preços mais elevados, o CaixaBI antecipa uma descida do EBITDA no conjunto do ano, não tendo a Galp conseguido "captar os efeitos positivos dos preços mais altos do gás", o que pressiona os lucros operacionais.

 

"Lembramos que, no último trimestre do ano, a empresa consolidou apenas um mês do negócio de gás natural regulado (após a conclusão da venda da participação de 22,5% da empresa para a Marubeni). Além disso, uma quantidade significativa dos volumes de gás estava relacionada a transacções com uma margem menor", lê-se na nota de análise.

 

A Galp Energia revela os seus resultados do último trimestre no próximo dia 21 de Fevereiro, depois de ter divulgado, no final do mês passado, os dados operacionais preliminares para o período.

 

Esta segunda-feira, as acções da petrolífera subiram 0,47% para 13,91 euros, acima do preço-alvo do CaixaBI para estes títulos, de 13,80 euros. 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




A sua opinião8
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Camponio da beira Há 2 semanas

qualquer banana que foi m inistro ou sec estado recebe uma reforma da galp, . e mesmo tendo os preços mais altos do mundo está assim?

Xxxxx Há 2 semanas

EBITA. 27'1% EX,PORTUCEL EBITA 25'5% comparem. Uma empresa gigante como a galp. Deveria ter um ebita de 40% ou mais.

5640533 Há 2 semanas

Se acertarem como com ex-Portucel...

Anónimo Há 2 semanas

A Galp não tem feito nada pela economia portuguesa. Portugal precisa que invistam cá em combustiveis biologicos renovaveis.

ver mais comentários
pub