Research CaixaBI: BCP terá registado lucros de quase 73 milhões de euros no primeiro semestre

CaixaBI: BCP terá registado lucros de quase 73 milhões de euros no primeiro semestre

A unidade de investimento da CGD antecipa que, no primeiro semestre deste ano, o BCP tenha registado lucros de 72,7 milhões de euros. Olhando apenas para o segundo trimestre, o banco estima um resultado líquido de 22,6 milhões de euros.
CaixaBI: BCP terá registado lucros de quase 73 milhões de euros no primeiro semestre
Bruno Simão/Negócios
Ana Laranjeiro 19 de julho de 2017 às 17:29

O Banco Comercial Português (BCP) terá encerrado os primeiros seis meses do ano com um lucro de 72,7 milhões de euros. É pelo menos esta a expectativa do CaixaBI, numa nota de análise a que o Negócios teve acesso. Este valor contrasta com os prejuízos de 197,3 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano passado.

Olhando apenas para o segundo trimestre de 2017, o analista André Rodrigues, que assina a nota, aponta para um resultado líquido de 22,6 milhões de euros. Um valor que contrasta com o prejuízo de 243,9 milhões de euros registados no período homólogo do ano anterior.


"Destacamos que as nossas estimativas incorporam o custo de cerca de 60 milhões de euros no segundo trimestre de 2017, relacionado com a contribuição para o sector bancário em Portugal e também a contribuição para os mecanismos de resolução nacional e europeu (custos de exploração) que frequentemente são registados com periodicidade anual em cada segundo trimestre", pode ler-se no documento.


O analista antecipa que a margem financeira do banco liderado por Nuno Amado tenha ascendido aos 678,4 milhões de euros no primeiro semestre do ano, mais quase 12% que igual período do ano passado. De Abril a Junho, a margem financeira terá ascendido a 346 milhões, mais quase 11% que no mesmo período do ano passado.


Os custos operacionais decresceram 0,7% nos primeiros seis meses do ano para 480,9 milhões de euros. No trimestre, este indicador registou uma subida ligeira de 0,7% para 242,6 milhões de euros.


"Esperamos que as principais variáveis mantenham uma evolução sólida no segundo trimestre de 2017. Isto deve ser visível no crescimento das receitas principais (margem financeira e comissões) e a redução do custo dos riscos de crédito e a exposição aos activos problemáticos. Globalmente, nenhuma notícia é uma boa notícia nesta fase", comenta o analista na nota.

 
Os resultados serão apresentados na próxima semana, a 27 de Julho.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 

(Notícia actualizada às 17:52)