Research CaixaBI corta avaliação da Sonae

CaixaBI corta avaliação da Sonae

O CaixaBI continua “positivo” para a Sonae SGPS, mas o “tom deste último relatório não é tão positivo como os anteriores”, admitem os analistas que reviram em baixa a avaliação da empresa liderada por Paulo Azevedo.
CaixaBI corta avaliação da Sonae
Bruno Simão
Sara Antunes 16 de agosto de 2017 às 18:13

"Revimos as nossas estimativas para a Sonae à luz dos desenvolvimentos do mercado e das movimentações de posição estratégica da empresa", explicam os analistas numa nota de análise publicada esta quarta-feira, 16 de Agosto.

 

O banco de investimento também alargou o período de avaliação, sendo que o actual preço-alvo incorpora estimativas para o final de 2018.

 

Estas alterações ditaram uma revisão em baixa da avaliação que o CaixaBi faz da empresa liderada por Paulo Azevedo (na foto). O corte do "target" é de 13,8% para 1,25 euros, sendo que a recomendação foi mantida em "comprar", até porque esta avaliação confere às acções um potencial de valorização de 27,5% face à actual cotação (0,98 euros).

 

"Esta descida [de avaliação] poder ser, parcialmente, atribuída à adopção de um desconto de 10%" no modelo de avaliação do conglomerado, com "o objectivo de incorporar a incerteza de avaliação que advém da complexidade da Sonae", explicam os analistas.

 

A casa de investimento realça a pressão observada no sector do retalho, com as margens de EBITDA mais baixas e a concorrência a aumentar, nomeadamente com a entrada prevista de um novo agente no mercado nacional: a Mercadona.

 

No que respeita à Worten, a empresa tem conseguido melhorar as suas margens, mas, também aqui, a concorrência deverá apertar, não só pelo facto de outros agentes quererem reforçar as suas quotas de mercado, como a Amazon poderá tornar-se mais uma ameaça. "A Worten poderá, em breve, ver ameaçado o seu domínio no mercado interno, por isso não ficaríamos surpreendidos se a Sonae fizer um movimento agressivo" neste sector.

 

"Continuamos a ter uma recomendação positiva para a Sonae, mas o tom deste relatório não é tão positivo como os anteriores. As perspectivas para a Sonae têm vindo a esmorecer lentamente, com a empresa a enfrentar adversidades em algumas das suas actividades", adianta a mesma nota.

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 17.08.2017

Deviam ter vergonha de emitir comunicados destes... isto é conversa de café... descida justifica pelo desconto de conglomerado? Mas a Sonae ficou um conglomerado no mês passado? Que fantochada... Não sei se vale mais ou menos, mas estes argumentos são dignos de uma empregada doméstica.

gspvc 17.08.2017

Estes prices target andam nisto há três anos, mas o certo é que não passam de um euro desde aí, tretas de avaliações

DEIXEM - se de sonaes comprem BCP 16.08.2017

A sonae está muito inflacionada comprem BCP que está ao preço da UVA MIJONA

Anónimo 16.08.2017

CaixaBI ? Mas, continuam a brincar com o dinheiro dos contribuintes?

ver mais comentários
pub