Research CaixaBI corta preço-alvo dos CTT de 6,90 para 6,50 euros

CaixaBI corta preço-alvo dos CTT de 6,90 para 6,50 euros

Os analistas do banco de investimento da Caixa Geral de Depósitos cortaram o preço-alvo atribuído às acções dos CTT de 6,90 euros para 6,50 euros, mantendo inalterada a recomendação em "comprar".
CaixaBI corta preço-alvo dos CTT de 6,90 para 6,50 euros
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 18 de outubro de 2017 às 07:35

Em análise de "research" do Caixa Banco de Investimento (CaixaBI), a casa de investimento detida pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) corta o preço-alvo atribuído aos títulos dos CTT de 6,90 euros para 6,50 euros, o que tendo em conta a cotação de fecho dos correios nacionais na sessão desta terça-feira, 17 de Outubro, (5,005 euros) atribui, ainda assim, um potencial de valorização de 29,87% às acções da cotada liderada por Francisco Lacerda. 

Já a recomendação sobre as acções dos CTT é mantida pelos analistas do CaixaBI em "comprar". 

Na nota a que o Negócios teve acesso, o CaixaBI refere que faz a análise dos CTT já a perspectivar o próximo ano e nota que leva em conta os resultados semestrais apresentados pelos correios nacionais, que considera "bastante desapontantes". Os lucros dos CTT caíram 44% para 17,7 milhões de euros entre Janeiro e Junho deste ano. 

Explicam ainda que a descida do preço-alvo reflecte algumas tendências, designadamente no segmento do correio postal e sublinham que os CTT são actualmente a cotada das 18 que integram o PSI-20 com pior desempenho no ano. O valor bolsista da cotada já caiu 22,34% desde o início de 2017. 

Os analistas salientam que o investimento numa empresa postal (com 70% do EBITDA consolidado proveniente do sector postal), em que a actividade principal (correio) está em declínio, envolve "riscos significativos". Riscos que apesar de serem parcialmente compensados com um "interessante" sector financeiro envolvem também uma componente de exposição tendo em conta tratar-se de um banco que está a dar os primeiros passos (Banco CTT).

Mesmo assim, esta casa de investimento nota que o bom momento da economia portuguesa poderá ter um "efeito positivo" no sector dos correios, em especial no correio publicitário e registado.

Sobre a política de dividendos dos CTT, o CaixaBI considera que a mesma "permanece válida" e não representa nenhum risco neste momento.  

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub