Research CaixaBI: Lucros da Galp deverão ter caído 43% até Setembro

CaixaBI: Lucros da Galp deverão ter caído 43% até Setembro

O banco de investimento estima que as receitas das três principais unidades de negócio tenham caído até Setembro - em comparação com 2015 - e que a companhia tenha registado mais depreciações que no mesmo período do ano passado.
CaixaBI: Lucros da Galp deverão ter caído 43% até Setembro
Miguel Baltazar/Negócios
Paulo Zacarias Gomes 25 de Outubro de 2016 às 17:46

O resultado líquido da Galp, que apresenta as contas trimestrais na próxima sexta-feira, terá recuado para os 350 milhões de euros nos primeiros nove meses de 2016, uma queda de 43%, estimam os analistas do Caixa - Banco de Investimento (CaixaBI).

O comportamento da petrolífera no trimestre terá sido penalizado com um recuo de 22,9% para os 103 milhões de euros. Os analistas esperam que a actividade nos meses entre Julho e Setembro tenha reflectido a perturbação no funcionamento da operação no Brasil já presente no segundo trimestre, resultantes de operações de manutenção em Abril no campo Lula e a falta de ligação do gasoduto de Cabiúnas à plataforma flutuante.

As receitas antes de juros, impostos, amortizações e depreciação da empresa liderada por Carlos Gomes da Silva (na foto) terão caído 5,6%, entre Janeiro e Setembro de 2015 e igual período deste ano, para 1.018 milhões de euros, tendo no entanto crescido em cadeia: mais 15,1% entre Julho e Setembro em relação ao trimestre precedente.

As maiores depreciações registadas e a queda nas receitas das principais unidades – Exploração e Produção, Refinação e Distribuição e Gas e Power – contribuíram para agravar a descida das receitas antes de juros e impostos, de 21,2% até Setembro, para 529 milhões de euros.

O CaixaBI mantém a recomendação para "acumular" para os títulos da Galp e o preço-alvo mantém-se nos 12,40 euros. Esta terça-feira, as acções da empresa encerraram a valer 12,75 euros em Lisboa, perante uma subida de 0,43%.

"Na nossa opinião, os principais destaques do trimestre estão relacionados com o desenvolvimento da produção no Brasil e o bom desempenho da actividade de Refinação e Distribuição,  apesar da queda trimestral das margens de refinação de referência para o sector," lê-se na nota do Caixa BI assinada pelo analista Carlos Jesus.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub