Research CaixaBI recomenda “reduzir” posição na Cofina

CaixaBI recomenda “reduzir” posição na Cofina

O CaixaBI reviu as estimativas para a Cofina, avaliando a empresa, dona do Negócios, a 0,40 euros, o que significa que as acções têm um potencial de queda de quase 14%.
CaixaBI recomenda “reduzir” posição na Cofina
Sara Antunes 05 de dezembro de 2017 às 07:15

O CaixaBI ajustou as estimativas para a Cofina, depois dos resultados dos primeiros nove meses do ano terem ficado aquém do esperado.

 

O CaixaBI avalia a empresa liderada por Paulo Fernandes (na foto) em 0,40 euros, uma avaliação que tem por base o final do próximo ano. Uma vez que a actual cotação da empresa que detém o Jornal de Negócios e o Correio da Manhã é de 0,465 euros, o potencial face ao preço-alvo do CaixaBI é de uma queda de 13,98%.

 

"Desde o início do ano o preço da acção das Cofina mostrou uma escalada impressionante de quase 79%, eliminando o potencial de subida face à nossa avaliação", realça a analista Helena Barbosa, numa nota de análise a que o Negócios teve acesso.

 

A analista salienta que a subida recente esteve relacionada "sobretudo com as notícias de movimentos de fusões e aquisições no sector dos media, já que o ambiente de mercado para o negócio publicitário continua muito difícil."

 

E os resultados operacionais provam este contexto. "Mais uma vez, os números apresentados [até Setembro] foram mais baixos do que o estimado, levando-nos a reduzir as estimativas para o final do ano. A fraca visibilidade da evolução do negócio é uma das maiores fraquezas da empresa, por isso continuamos a adoptar uma posição cautelosa", sublinha a mesma analista.

 

Por outro lado, realça a analista, "o processo de reestruturação em curso vai gerar poupanças importantes ao nível dos custos operacionais que podem levar a um aumento de margens".

 

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro.