Mercados CEO da Euronext Lisbon: "Plano da Caixa é difícil, mas absolutamente imprescindível"
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

CEO da Euronext Lisbon: "Plano da Caixa é difícil, mas absolutamente imprescindível"

A passagem pela Caixa, na equipa de António Domingues, foi curta e é um capítulo encerrado. Ainda assim, Paulo Rodrigues da Silva salienta a importância de cumprir à risca o plano de negócios do banco público.
A carregar o vídeo ...
Tiago Freire e Rosário Lira

Esteve ligado ao plano de negócios da Caixa Geral de Depósitos, na equipa de António Domingues. Acha que este plano está a ser bem entendido pela opinião pública, por algumas reacções

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Zé pagante 30.07.2017

Mas afinal o que é o Plano da Caixa supostamente elaborado por uma Mckinsey recrutada pelo Domingues antes de nomeado Presidente, e obviamente, como de costume, pago por nós todos ? Se é o acervo de banalidades publicado pela CMVM e pomposamente apelidado de “Plano Estratégico da Caixa”, a sua comparação com os planos estratégicos divulgados ao público por alguns grandes bancos europeus deixa a ideia que foi demasiado caro o que todos pagámos..Mas pode ser que o que foi dado ao conhecimento público tenha sido a ponta do iceberg, o que verdadeiramente se lamenta porque contribuintes que são chamados a pagar uma fatura de muitos biliões de €, terão pelo menos o direito mínimo de serem devidamente informados.E quem não teve pejo(ou talvez discernimento?) de ir buscar ao BPI ou ao BCP administradores que em princípio não faltariam na Caixa, também agora não terá muita razão para não divulgar ao Zé pagante informação esclarecedora, sob pretexto que é para não ajudar a concorrência.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub