Trading CEO da Shell vai mudar para um carro eléctrico

CEO da Shell vai mudar para um carro eléctrico

Mercado acredita que preços do petróleo vão manter-se baixos para sempre.
CEO da Shell vai mudar para um carro eléctrico
Reuters
Mariana Adam 28 de julho de 2017 às 14:58

O CEO da Shell, uma das maiores companhias de petróleo do mundo, revelou que a empresa está a trabalhar no cenário de que o preço do petróleo vai ficar baixo para sempre. Ben Van Beurden surpreendeu o mercado ao afirmar, em entrevista à Bloomberg, que ele próprio vai passar a conduzir um carro eléctrico em Setembro, abandonando o seu a gasóleo. A opção do CEO da petrolífera foi por um Mercedes-Benz S500e plug-in. A Bloomberg revela ainda que directora financeira da Shell, Jessica Uhl, foi a primeira a quebrar esse tabu e conduz actualmente um carro eléctrico BMW i3.

Um sinal dos tempos que reflecte as rápidas mudanças no mercado nos últimos anos.
 

O petróleo que atingiu os 150 dólares por barril afundou em dois anos até aos 30 dólares e está actualmente a negociar perto dos 50 dólares. Na mesma entrevista à Bloomberg, o CEO da Shell defendeu que o mercado espera que no curto prazo os preços caiam até aos 40 dólares e revelou a sua empresa está a trabalhar "no pressuposto de que o petróleo vai manter-se nos preços baixos para sempre". "O movimento geral de electrificação da economia, de electrificação da mobilidade em lugares como o noroeste da Europa, os EUA e até a China, é positivo", disse mesmo Van Beurden, em entrevista à Bloomberg TV. "Precisamos de um grau muito maior de penetração dos veículos eléctricos — ou dos veículos a hidrogénio ou dos veículos a gás — se quisermos nos manter dentro da meta dos 2 graus Celsius."


A data da morte do carro de motor a gasóleo e a gasolina está anunciada para 2040: o Governo britânico anunciou que nesse ano deixam de poder ser vendidos automóveis que usem estes combustíveis, com o objectivo de os fazer desaparecer completamente das estradas britânicas nos dez anos seguintes. Londres  segue desta forma Paris, que no início de Julho anunciou um plano para acabar com os automóveis a gasóleo e gasolina até essa data.

A fabricante de veículos Volvo afirmou também este mês que já a partir de 2019 produzirá apenas veículos eléctricos ou híbridos.


A anglo-holandesa Royal Dutch Shell comprou recentemente o BG Group, grupo da área do gás por cerca de 61 mil milhões de euros, transformando-se na segunda maior empresa do sector, atrás da norte-americana ExxonMobil. Uma aposta que tem em vista a crença de que a procura por gás natural vai continuar a aumentar. A medida que o mundo está a aderir aos combustíveis menos poluentes.


Conheça mais sobre as soluções de trading online da DeGiro.