Mercados Certificados de poupança do Estado captam mais de 100 milhões em Abril

Certificados de poupança do Estado captam mais de 100 milhões em Abril

Os certificados do tesouro continuam a atrair poupança. Captaram mais de 100 milhões de euros pelo quarto mês consecutivo.
Certificados de poupança do Estado captam mais de 100 milhões em Abril
Patrícia Abreu 22 de maio de 2018 às 11:47

Os certificados do tesouro continuam a captar poupança. As subscrições dos Certificados do Tesouro Poupança Crescimento (CTPC) aumentaram ligeiramente, em Abril, compensando as saídas nos certificados de aforro. No total, o Estado captou mais de 100 milhões de euros com estes instrumentos de dívida para o retalho.


Os portugueses aplicaram 127 milhões de euros em CTPC, no mês passado, de acordo com a informação divulgada no Boletim Estatístico do Banco de Portugal. Já o montante investido em certificados de aforro (CA) baixou em Abril, mantendo a tendência de resgates dos últimos meses. O "stock" em CA caiu em 13 milhões de euros, para 11.892 milhões de euros.


As subscrições nos CTPC continuam, assim, a ser suficientes para compensar os resgates nos CA, com os certificados do tesouro a captarem mais de 100 milhões de euros pelo quarto mês consecutivo. Contas feitas, os certificados de poupança permitiram ao Estado financiar-se em 114 milhões de euros, através destes produtos.


Apesar da queda de remuneração concretizada em Outubro, com a substituição dos anteriores certificados do tesouro pelos CTPC, a taxa bruta paga por estes produtos continua a ser mais atractiva que os depósitos a prazo, cujos juros são praticamente nulos. Os novos certificados garantem uma taxa de juro crescente, que começa nos 0,75% nos dois primeiros anos do produto e sobem até 2,25%, no sétimo ano. E estas remunerações podem subir, caso a evolução do produto interno bruto seja positiva. Em média, rendem 1,39% a sete anos.


Já no caso dos CA, a remuneração continua bastante deprimida devido às Euribor negativas. Segundo o IGCP, a taxa de juro bruta para novas subscrições de Certificados de Aforro, em Maio, foi fixada em 0,672%.




pub