Bolsa CMVM profere decisão sobre três processos de contra-ordenação no segundo trimestre

CMVM profere decisão sobre três processos de contra-ordenação no segundo trimestre

O regulador do mercado de capitais proferiu decisão sobre três processos de contra-ordenação no segundo trimestre deste ano.
CMVM profere decisão sobre três processos de contra-ordenação no segundo trimestre
Miguel Baltazar
Negócios 27 de julho de 2017 às 12:42

A Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) decidiu sobre três processos de contra-ordenação durante o segundo trimestre deste ano. Um desses processos foi por "violação de deveres de negociação em mercado, um por violação dos deveres de informação ao mercado e um por violação de deveres de intermediação financeira".

"As decisões tomadas entre Abril e Junho respeitam a três processos de contra-ordenação muito graves, tendo sido aplicadas coimas no total de 55.000 euros e decidido um arquivamento", pode ler-se no comunicado da instituição liderada por Gabriela Dias (na foto).

Além disso, de Abril a Junho foram instaurados dois processos de contra-ordenação devido a violação dos deveres de negociação em mercado.

"No segundo trimestre foram decididos três processos em tribunal, dois relativos à violação de deveres de negociação em mercado e um referente à violação de deveres de intermediação financeira. No final do primeiro semestre, encontravam-se pendentes de decisão nos tribunais seis processos", acrescenta o comunicado.

No fim do mês passado, o regulador tinha em curso 103 processos de contra-ordenação. Deste conjunto, explica a CMVM, 30 diziam respeito a violações de deveres de intermediação financeira, 27 a violações de deveres de informação, 21 à actividade dos organismos de investimento colectivo, 18 por violação de deveres de negociação em mercado e sete referentes à actuação dos auditores.

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
zé dos Bois 27.07.2017

então mas porque é que não divulgam os prevaricadores?
esta agora?

jecm 27.07.2017

Palhaços. Quem foi e o que fez? Devia ser obrigatório a divulgação pública.