Mercados Comissões lideram queixas ao Banco de Portugal

Comissões lideram queixas ao Banco de Portugal

O supervisor recebeu uma média de 37 reclamações por dia. Destas, grande parte são relativas aos encargos dos clientes.
Comissões lideram queixas ao Banco de Portugal
Sara Matos/Negócios
Raquel Godinho 13 de Outubro de 2016 às 22:00
Os portugueses continuam a reclamar dos serviços financeiros. Um pouco menos do que no ano passado. O Banco de Portugal recebeu uma média de 37 queixas por dia, no primeiro semestre deste ano. No total, foram 1.115 por mês reclamações, menos 0,8% do que em 2015. E as comissões continuam a ser um dos tópicos alvo de maior desagrado por parte dos clientes.

Entre os principais alvos de queixas dos utilizadores bancários continuam a destacar-se as contas, que motivaram mais de um terço das reclamações totais. E, dentro destas, 26,4% foram relativas a comissões. Esteve "maioritariamente em causa a prestação de informação relativa às comissões associadas à conta de depósito à ordem e aos pressupostos da sua aplicação e os montantes exigidos a título da comissão de manutenção de conta", revela a  Sinopse de Actividades de Supervisão Comportamental, publicada esta quinta-feira.

O crédito ao consumo e o crédito à habitação ocupam a segunda e terceira posições no que diz respeito às matérias mais reclamadas pelos portugueses. E também aqui as comissões têm um lugar de destaque. No primeiro caso, tiveram um peso de 14,3% nas reclamações relativas a cartões de crédito e de 6% nas queixas relacionadas com o crédito pessoal.

Já no que toca aos empréstimos para a compra de casa, as comissões obtiveram um peso de 8,2% no total das queixas. Em causa estiveram sobretudo "as comissões de processamento da prestação e as comissões cobradas pelo atraso no pagamento das prestações", adiantou o Banco de Portugal.

O supervisor adiantou ainda que, do total das reclamações encerradas no primeiro semestre, em 64% dos casos não se observaram indícios de infracção por parte da instituição financeira, em linha com a percentagem de 2015. E em cerca de 36% das queixas assistiu-se à resolução do problema pelo banco, por sua iniciativa ou por recomendação do Banco de Portugal.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Regulador Há 2 semanas

E se fosse eu a dizer ao banco que no próximo mês não pagava a comissão?
E se fosse eu comunicar que o spread passava para 0,1%?
O BP iria colocar o banco na lista negra e eu apresentava despesas porque o banco não creditou a diferença do valor.
O BP é para regular os clientes não os bancos ...

pub
pub
pub
pub