Bolsa Como o BCP passou a mandar no PSI-20 em seis gráficos

Como o BCP passou a mandar no PSI-20 em seis gráficos

O BCP tem actualmente um peso de 16% no PSI-20, o nível mais elevado dos últimos 10 anos e que compara com pouco mais de 4% no final do ano passado. Veja quem manda no PSI-20 em seis gráficos.
Negócios 20 de dezembro de 2017 às 08:00
A carteira do PSI-20 tem sido alvo de poucas alterações nos últimos tempos, com as mexidas a serem determinadas sobretudo pela remoção de cotadas que saem de bolsa (como o Montepio) ou ficam com uma reduzida parcela do seu capital disponível para negociação (como o BPI). A última revisão trimestral do índice da bolsa portuguesa, que seria efectiva esta semana, deixou tudo na mesma.

Mas esta monotonia na composição do PSI-20 não quer dizer que não tenham ocorrido alterações no índice. Este ano existiram e até foram bem significativas, com impacto relevante no andamento diário do índice. Numa qualquer sessão de 2016, se as acções da EDP e da Galp Energia estivessem a negociar com sinal negativo, mesmo com variações ligeiras, era quase certo que o PSI-20 também estaria no vermelho. Este ano não foi bem assim. As duas cotadas do sector energético continuam a ter um peso relevante no índice, mas quem manda agora no PSI-20 é o BCP. Por isso, sessão em que o banco liderado por Nuno Amado feche em alta, é bem provável que o PSI-20 também tenha sinal positivo.

O BCP apresenta actualmente um peso de 16% no PSI-20, o que representa o nível mais elevado de sempre, de acordo com os dados com a composição da carteira do PSI-20 desde 2007, que foram fornecidos ao Negócios pela Euronext. Este ganho de importância do BCP deve-se sobretudo ao aumento de capital que o banco efectuou no arranque de 2017, que elevou de forma considerável o número de acções no mercado, mas também devido ao desempenho positivo dos títulos este ano.

No espaço de um ano, o BCP quase quadruplicou o peso no PSI-20, um reforço que foi feito à custa sobretudo do sector da energia. EDP, Galp Energia, EDP Renováveis e REN têm actualmente um peso conjunto no PSI-20 de 36%, o nível mais baixo desde 2015. O peso destas quatro cotadas juntas é actualmente pouco mais do dobro do BCP. No final de 2016, o peso das quatro energéticas era 10 vezes superior ao do banco.

A EDP e a Galp Energia, ao longo dos últimos 10 anos, têm trocado entre si (de forma quase ininterrupta) o lugar de cotada com maior peso no PSI-20. Actualmente, o seu peso individual é o mais baixo em 10 anos e pouco superior a 10%, com a petrolífera (11,6%) a superar a eléctrica (10,7%). No ranking das cotadas com maior importância no PSI-20 segue-se a Jerónimo Martins (10,24%), que chegou a liderar em 2015 e 2016 mas tem agora a ponderação mais baixa desde 2009. Em quinto lugar está outra cotada do sector energético, a EDP Renováveis, que está agora abaixo dos 10%, mas duplicou o peso desde 2014.

A carregar o vídeo ...



A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Grande, enorme SOUSA 20.12.2017

Obrigado Amigo. Bem haja.

comentários mais recentes
bruno 21.12.2017

Depois de termos os agarrados anónimos do BCP a debitar diariamente neste site falando das maravilhas de uma acção que não dá dividendo e que praticamente não dá lucro e que tem previsto um forte aumento dos ordenados , agora vamos tb ter os agarrados dos CTT... kkkkkkk

Re: Grande, enorme SOUSA 20.12.2017

Esse sabia do que falava. Agora é só tolos a berrar.

Diogo Flórido 20.12.2017

O vosso primeiro gráfico tem um erro. Tem os valores em percentagem de 2017 trocados.

Anónimo 20.12.2017

CTT irão subir bem com estas boas notícias.

ver mais comentários
pub