Research Compra da portuguesa Santos Barosa coloca Vidrala entre as acções preferidas do BPI

Compra da portuguesa Santos Barosa coloca Vidrala entre as acções preferidas do BPI

O BPI actualizou a lista das suas cotadas preferidas. A Sonae SGPS continua a ser a única portuguesa entre nove empresas.
Compra da portuguesa Santos Barosa coloca Vidrala entre as acções preferidas do BPI
Reuters
Sara Antunes 13 de setembro de 2017 às 21:30

O BPI publicou a actualização da lista das cotadas preferidas. São nove as empresas que constam nesta lista e há apenas uma alteração: a entrada da Vidrala, depois do "movimento arrojado" de compra da portuguesa Santos Barosa.

 

Esta empresa espanhola viu mesmo a sua avaliação subir 7,5% para 86 euros. A contribuir para esta visão melhorada da Vidrala esteve a compra da Santos Barosa, que deverá estar concluída nas próximas semanas, estimam os analistas do BPI. A empresa portuguesa deverá trazer 39 milhões de euros, de EBITDA, em 2018, e 47 milhões em 2020. Estas são as estimativas desta casa de investimento.

 

A única cotada portuguesa que faz parte desta lista é a Sonae, com o BPI a realçar que a retalhista "deverá beneficiar" de um contexto mais positivo em termos de consumo, imobiliário, bem como do turismo. A avaliação da empresa liderada por Paulo Azevedo foi mantida em 1,30 euros.

 

As outras cotadas que completam a lista são: ACS, Banco Sabadell, Cellnex, Ebro Foods, Fluira, NH Hotels e Zardoya.

Nota: A notícia não dispensa a consulta da nota de "research" emitida pela casa de investimento, que poderá ser pedida junto da mesma. O Negócios alerta para a possibilidade de existirem conflitos de interesse nalguns bancos de investimento em relação à cotada analisada, como participações no seu capital. Para tomar decisões de investimento deverá consultar a nota de "research" na íntegra e informar-se junto do seu intermediário financeiro. 

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub