Obrigações Compras de dívida portuguesa por parte do BCE atingem novo mínimo

Compras de dívida portuguesa por parte do BCE atingem novo mínimo

O Eurosistema voltou a reduzir o ritmo das compras de obrigações portuguesas ao abrigo do programa alargado de compra de activos.
Compras de dívida portuguesa por parte do BCE atingem novo mínimo
Reuters
Rui Barroso 06 de junho de 2017 às 14:56

O BCE intensificou a tendência de redução das compras de obrigações portuguesas. Em Maio, o Eurosistema comprou 504 milhões de euros em títulos de dívida soberana nacional, o que compara com o valor de 526 milhões de euros verificado em Abril. É um novo mínimo desde que a entidade liderada por Mario Draghi arrancou com o programa alargado de compra de activos, em Março de 2015. Em Maio do ano anterior, esse valor tinha sido de 1.451 milhões de euros.

O valor é de menos de metade da meta implícita pela chave de capital de Portugal no banco central. E compara com a média mensal de 1.150 milhões de euros verificada entre Março de 2015 e Março de 2016, período em que o objectivo das compras mensais globais era semelhante ao actual, de 60.000 milhões de euros por mês.


O BCE compra menos dívida portuguesa que a meta implícita devido a uma limitação do programa alargado de compras de activos. O banco central não pode deter mais de 33% do total de uma linha de obrigações ou da dívida total considerada para efeitos do programa. E como uma parte significativa da dívida portuguesa não é transaccionável, já que está nas mãos de credores oficiais, não entra para esses cálculos.


Além disso, o BCE já detinha obrigações portuguesas ao abrigo do antigo programa de mercado de títulos de dívida (SMP), que vigorou entre 2010 e 2012, e que também limita o raio de acção do Eurosistema na compra de obrigações portuguesas. No final de 2016, o BCE detinha 9.500 milhões de euros em dívida portuguesa ao abrigo do SMP.

Apesar de ter flexibilizado algumas das regras do programa, o BCE não pretende suavizar o limite de 33%, com Mario Draghi a ter argumentado essa decisão com constrangimentos legais e institucionais. 


A sua opinião12
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado GabrielOrfaoGoncalves Há 2 semanas

Na cama com os agiotas...

António Costa: o melhor primeiro-ministro de sempre na cama... com os agiotas que lucram com o que emprestam a Portugal.

Força, Costa! "Devolve" lá o que foi "roubado" às pessoas. Nunca digas a essas pessoas que o que elas ganhavam antes da crise de 2008-2009 só podia ser pago com dinheiro emprestado, com o dinheiro da agiotagem internacional, e nunca com o dinheiro que a economia portuguesa, sozinha, conseguia gerar. Não lhes digas senão elas ainda têm um AVC e depois é mais despesa com o serviço nacional de saúde, ou então com a ADSE, e sabes que a Catarina é contra "dar milhões aos privados" (na dúvida, o melhor é falecer, portanto).

Tu nem pertencias a este Governo nem nada:

https://www.youtube.com/watch?v=duOwjPjPQdo

Vá, "devolve" lá o que foi "roubado" e esquece a dívida e os juros. Sim, pá, sê porreiro e marimba-te para os números, que esses conhecem os agiotas muito bem e gostam é de tipos porreiros, alegres e sorridentes como tu, pá!

comentários mais recentes
GabrielOrfaoGoncalves Há 2 semanas

Na cama com os agiotas...

António Costa: o melhor primeiro-ministro de sempre na cama... com os agiotas que lucram com o que emprestam a Portugal.

Força, Costa! "Devolve" lá o que foi "roubado" às pessoas. Nunca digas a essas pessoas que o que elas ganhavam antes da crise de 2008-2009 só podia ser pago com dinheiro emprestado, com o dinheiro da agiotagem internacional, e nunca com o dinheiro que a economia portuguesa, sozinha, conseguia gerar. Não lhes digas senão elas ainda têm um AVC e depois é mais despesa com o serviço nacional de saúde, ou então com a ADSE, e sabes que a Catarina é contra "dar milhões aos privados" (na dúvida, o melhor é falecer, portanto).

Tu nem pertencias a este Governo nem nada:

https://www.youtube.com/watch?v=duOwjPjPQdo

Vá, "devolve" lá o que foi "roubado" e esquece a dívida e os juros. Sim, pá, sê porreiro e marimba-te para os números, que esses conhecem os agiotas muito bem e gostam é de tipos porreiros, alegres e sorridentes como tu, pá!

ESTÃO BOM UM PARA O OUTRO Há 2 semanas

A Tanga do Défice controlado só tem paralelo na Tanga dos Afetos. Estão bom um para o outro!

O EMBUSTE DO DÉFICE CONTROLADO Há 2 semanas

À conta do endividamento p/consumo. O BCE compra milhões de div portuguesas aos bancos /fundos internacionais dando-lhes de ganhar milhões a curto prazo e risco zero ao mesmo tempo q lhes dá nova disponibilidade p/comprar mais div portuguesa ou seja mais lixo tóxico q/ sabem q o BCE lhes vem limpar

Marta Guimaraes Há 2 semanas

Caro surpreso,
Sei que você é o mesmo que victor guerra no Observador. Você não me pode atacar daquela maneira no Observador. Somos ambos do PNR pelo que temos ambos de dizer o mesmo. Cumprimentos, Marta Guimaraes.

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub