Fundos de investimento Contribuições individuais para os fundos de pensões afundam até Setembro

Contribuições individuais para os fundos de pensões afundam até Setembro

As contribuições para os fundos de pensões diminuíram quase 14% até Setembro, com os fundos abertos a serem os responsáveis por este comportamento, mais precisamente as contribuições individuais, que afundaram 70% no espaço de um ano.
Contribuições individuais para os fundos de pensões afundam até Setembro
Reuters
Sara Antunes 28 de Novembro de 2016 às 15:47

"Até ao final do terceiro trimestre de 2016, as contribuições dos associados e participantes totalizaram 398.913 milhares de euros, o que representou um decréscimo de 13,9% no total dos fundos de pensões", refere a Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões num comunicado emitido esta segunda-feira, 28 de Novembro.

 

A contribuir para esta queda estiveram os fundos abertos, num período em que as contribuições para os PPR diminuíram 14%, uma evolução que já tem sido noticiada. Mas o grande destaque são as adesões individuais, cujas contribuições afundaram 70% para 43.513 milhões de euros até Setembro.

 

"O montante dos benefícios pagos foi de 544.822 milhares de euros, representando um acréscimo significativo de 29,6%, comparativamente com o período homólogo, resultante essencialmente do aumento de remições pagas em adesões individuais a fundos de pensões abertos", adianta a ASSFP. Este segmento triplicou os benefícios para 127.207 milhões.

 

Quanto à composição das carteiras de investimento, verificou-se uma estrutura semelhante, com a dívida pública a representar 31% das carteiras. O segundo maior peso é da responsabilidade dos fundos de investimento (26%). Os únicos que registaram quedas de representação nas carteiras foram os depósitos, que no espaço de um ano deixaram de pesar 11% para 9%, e as acções, que passaram de 9% para 7%.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
ANTUNES Há 4 dias

É SÓ PARA AVISAR QUE OS PPR SERÃO O PRÓXIMO BES! CONTINUEM A ENTREGAR O DINHEIRO A ELES E DEPOIS DIGAM QUE TIVERAM AZAR!

pub