Obrigações Corrida à dívida portuguesa antes da Fitch
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Corrida à dívida portuguesa antes da Fitch

A expectativa de uma melhoria de avaliação está a suportar a dívida portuguesa, que rende mais de 14%, em 2017. Os analistas mantêm-se optimistas, mas o espaço para quedas futuras é agora menor.
Corrida à dívida portuguesa antes da Fitch
Miguel Baltazar/Negócios
Patrícia Abreu 11 de dezembro de 2017 às 23:30

Esta é uma semana importante para a dívida portuguesa. A Fitch poderá tornar-se, no final desta semana, a segunda grande agência de notação financeira a classificar a dívida nacional com um grau de investimento,

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião19
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 12.12.2017

Dívida da República Portuguesa, o bitcoin das dívidas soberanas. Comprem, comprem. Mas vendam a tempo...

comentários mais recentes
RE : Anónimo MAIS VOTADO 12.12.2017

Se és quem eu penso que és, ó “anónimo” - muito mal te fica duvidares em público do futuro das finanças de um país que te emprega e paga mensalmente mais de 40 ordenados mínimos, além de prémios e mordomias?
Se és quem eu penso que és, ó “anónimo” - porque razão não fazes um esforço à medida do teu prestígio, para melhorar a qualidade dos produtos que vendes aos teus clientes, alcançando o teu desiderato de gerar lucros, não só pela austeridade, não só pela imposição " a martelo" de objectivos de ambição draconianas à tua rede de vendas - mas sim prioritariamente pelo aumento da procura dos teus clientes, em consequência da sua reacção espontânea a um aumento de qualidade?
Se és quem eu penso que és, ó “anónimo” - porque não torneias inteligentemente a tua obsessão com os "excedentários", aproveitando-os, motivando-os, forçando-os a mostrarem (ou não) o que valem, procurando melhorar com eles a qualidade de serviço aos clientes?

RE: Vagabundo: A noite é mais escura antes do aman 12.12.2017

Disse Batman, o Cavaleiro das Trevas, que:
"A noite é sempre mais escura antes do amanhecer"
Façamos votos para que realmente assim aconteça em relação à involução da nossa Dívida Publica, e há indícios para que de facto possa vir a ser o caso.
Mas não é para embandeirarmos já em arco, pôr-nos a deitar foguetes, entrarmos em regime de regabofe e começarmos a gastar à fartazana, para "animar a malta" com vista a próximas eleições.
Como nós estamos, em termos de relação Dívida pública/ Riqueza produzida no País -é pior do que nós estávamos aquando da vergonhosa bancarrota no reinado de D. Carlos.
O que nos tem agora ajudado são o nível das taxas de juro mais baixas em 5000 anos (fonte: banco de inglaterra)
Senão, mau-grado os inegáveis encantos do nosso país, os talentos de alguns dos seus filhos dilectos (Ronaldo, Mourinho e agora Centeno), não escapávamos com o rabo à seringa da vergonha do calote.
Portanto : esperança no futuro mas... nada de desapertar o cinto!

Qual é o espanto, Portugueses ? 12.12.2017

Qual é o espanto que a dívida pública portuguesa possa proporcionar, sem intervenção deliberada do Estado Português (a não ser, do seu contributo para a continuação da melhoria da situação económica dos Portugueses ), uma possível mais-valia de 14% ?
Qual é o espanto se a Caixa Geral de Depósitos, que paga aos seus clientes uma taxa de juro real negativa, dispôs-se a pagar cerca de 12% a hedge-funds abutres para subscreverem as suas obrigações ?
Qual é o espanto, a não ser o espanto de não ser sentido o dever, por parte da digna classe política, de explicar a quem os elegeu todas estas paradoxais situações, para evitar ilações muito compreensivelmente raiando a indignação?

Vagabundo 12.12.2017

Há aqui comentários.... que não merece um mínimo de atenção, é simplesmente pura ignorância abstracta, até parece que no LAGO DO RATO HÁ PETROLIO E DIAMANTES.
Finais de 2015 o pais devia 227000 Milhões e agora deve 249000 Milhões, isto é fantástico... até uma criança da primaria consegue ver isto.

ver mais comentários
Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub