Bolsa Corticeira afunda mais de 10% após Amorim vender acções

Corticeira afunda mais de 10% após Amorim vender acções

O principal accionista da Corticeira Amorim concluiu uma oferta pública de venda de 10% do capital da empresa, com um desconto de mais de 8% face à cotação de ontem.
Corticeira afunda mais de 10% após Amorim vender acções
DR

A venda de acções da Corticeira Amorim por parte do maior accionista está a ter um forte impacto na cotação dos títulos, que estão a reflectir o desconto com que a operação foi concretizada.

 

Depois do fecho da sessão de quinta-feira, duas empresas de Américo Amorim anunciaram que iriam realizar uma oferta pública de venda de 10% do capital da Corticeira Amorim, operação que concluíram poucas horas depois.

 

Os títulos foram colocados a 7,90 euros cada um desconto de 8,6% face à cotação de fecho de ontem (8,645 euros), o que resultou num encaixe de 107,07 milhões de euros para a Amorim International Participations e a Investmark Holdings.

 

Esta sexta-feira as acções estão a cair 10,35% para 7,75 euros, já abaixo do preço da OPV e em mínimos de final de Agosto. Esta é já a quinta sessão de quedas para a Corticeira Amorim, que em Outubro negociou em máximos históricos muito perto dos 10 euros por acção.

 

Apesar deste desempenho negativo mais recente, a Corticeira Amorim acumula ainda um ganho de 32,3% desde o início do ano, mantendo uma capitalização bolsista acima de mil milhões de euros.  

 

Com a venda deste lote de 10%, as empresas de Américo Amorim continuam a controlar a Corticeira Amorim, com 73% do capital.

O free float da Corticeira Amorim irá subir para 25% (dos actuais 15%), contribuindo para o aumento da liquidez do título José Mota Freitas, analista do CaixaBI

 

Analistas assinalam efeito positivo

 

Apesar da queda dos títulos e de já anteciparem uma primeira reacção negativa, os analistas destacam que esta operação pode ter efeitos positivos na Corticeira Amorim, que assim fica com uma maior fatia do capital disperso em bolsa.

 

"Apesar do desconto de 8,6% implícito nesta colocação colocar alguma pressão nas acções no curto prazo, vemos esta transacção como tendo um efeito positivo na visibilidade da empresa dado que deverá contribuir para aumentar a liquidez diária das acções", refere o Haitong.

 

Já o CaixaBI assinala que "o free float da Corticeira Amorim irá subir para 25% (dos actuais 15%), contribuindo para o aumento da liquidez do título, bem como para a melhoria da sua representatividade no índice PSI-20", o que "se mostrará benéfico para o título".

 

O banco de investimento assinala mesmo o aumento do "free float"  irá "criar condições para que removamos o desconto de 10% actualmente aplicado à nossa estimativa de Fair Value". O CaixaBI avalia as acções da Corticeira Amorim em 8,30 euros, com uma recomendação de "acumular".

 
Acções afastam-se dos máximos de Outubro








A sua opinião7
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 13 horas


PS ROUBA OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

DESCONTOS DA FP, SÓ PAGAM 13,7% DAS PENSÕES DA FP

Reformas com menos receitas das quotas da função pública.

Os descontos dos funcionários públicos cobrem apenas 13,7% da despesa com as pensões pagas pela Caixa Geral de Aposentações (CGA).

Ou seja: numa despesa total superior a 9,44 mil milhões de euros em 2015, as quotas dos trabalhadores financiaram os encargos com menos de 1,3 mil milhões de euros.

Por isso, o Estado, através do Orçamento do Estado e das contribuições de entidades públicas, injetou na CGA mais de 6,5 mil milhões de euros.

comentários mais recentes
joaoaviador Há 9 horas

Depois do rei morrer viva o rei. O resto é conversa!

Anónimo Há 11 horas

os meus comentários estão a ser apagados...

Anónimo Há 13 horas


SALÁRIO MÉDIO DOS PROFESSORES PORTUGUESES É O 3.º MAIS ALTO DA EUROPA, EM 2015 (antes da reposição).

"No caso dos docentes com salários mais altos, em que o rendimento dos docentes é superior ao PIB per capita, Portugal aparece em destaque como o terceiro com salários mais elevados da Europa.

Relatório Eurydice.

Anónimo Há 13 horas


PS ROUBA OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

DESCONTOS DA FP, SÓ PAGAM 13,7% DAS PENSÕES DA FP

Reformas com menos receitas das quotas da função pública.

Os descontos dos funcionários públicos cobrem apenas 13,7% da despesa com as pensões pagas pela Caixa Geral de Aposentações (CGA).

Ou seja: numa despesa total superior a 9,44 mil milhões de euros em 2015, as quotas dos trabalhadores financiaram os encargos com menos de 1,3 mil milhões de euros.

Por isso, o Estado, através do Orçamento do Estado e das contribuições de entidades públicas, injetou na CGA mais de 6,5 mil milhões de euros.

Resposta de jonyka Anónimo Há 12 horas

XUPA-ME O OSSO.

ver mais comentários
pub